Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 18

Texto Original

Caput XVIII

De canonisatione ipsius.

 

71. 
1 Cum igitur in diversis iam mundi partibus nova miraculorum luce claresceret, et ad sacrum corpus eius undique concurrerent qui maxima et singularia beneficia Domini meritis ipsius experti fuerant, supradictus dominus papa Gregorius, de consilio cardinalium et aliorum praelatorum quamplurium, lectis et approbatis miraculis quae Dominus per eum fuerat operatus, ipsum in sanctorum catalogo annotavit, mandans festum eius die sui obitus solemniter celebrari. 
2 Facta sunt autem haec in civitate Assisii in praesentia multorum praelatorum et maximae multitudinis principum et baronum ac innumerabilium populorum de diversis mundi partibus, quos àd ipsam solemnitatem idem dominus papa fecerat convocari, anno Domini millesimo ducentesimo vicesimo octavo, pontificatus ipsius domini papae anno secundo.

 

72. 
1 Ipse summus pontifex dictum sanctum quem viventem summe dilexerat, non solum canonisando mirifice honoravit, verum etiam ecclesiam in honore eius constructam, in cuius fundamento ipse dominus papa primum lapidem posuit, sacris ditavit muneribus et pretiosissimis ornamentis. 
2 Ad quam, post duos annos a sua canonisatione, sacrosanctum corpus eius de loco ubi prius sepultum fuerat honorifice est translatum. 
3 Misit enim ad ipsam ecclesiam crucem auream lapidibus pretiosis ornatam in qua erat lignum crucis dominicae inclusum, atque ornamenta et vasa et plurima ad altaris ministerium pertinentia cum multis pretiosis et solemnibus indumentis. 
4 Quam quidem ecclesiam ab omni iurisdictione inferiori eximens, auctoritate apostolica ipsam caput et matrem totius ordinis fratrum minorum instituit, ut patet in privilegio publico et bullato in quo cardinales communiter subscripserunt.

 

73. 
1 Verum quia parum esset sanctum Dei rebus insensibilibus honorari nisi per eum, corpore mortuum et spiritu viventem in gloria, Dominus quamplurimos converteret et sanaret, non solum promiscui sexus personae indifferentes post eius obitum meritis ipsius ad Dominum sunt conversae, sed etiam multi magni et nobiles cum filiis suis habitum sui ordinis susceperunt, reclusis propriis uxoribus et filiabus suis in monasteriis pauperum dominarum. 
2 Similiter et multi sapientes ac litteratissimi viri, tam saeculares quam clerici praebendati, spretis carnis illecebris atque impietate et saecularibus desideriis (Tit 2,12) penitus abdicatis, praefatum minorum ordinem intraverunt, paupertati ac vestigiis Christi et servi sui beatissimi Francisci se in omnibus iuxta mensuram divinae gratiae conformantes. 
3 Unde de ipso non immerito potest illud dici quod scribitur de Samsone, quod videlicet multo plures interfecit moriens quam ante vivus occiderat (cfr. Iudc 16,30), profecto qui vita gloriae semper vivit. 
4 Ad quam gloriam ille nos perducat, meritis sanctissimi patris nostri Francisci, qui vivit et regnat in saecula saeculorum. Amen (cfr. Apoc 10,6; 11,15).

Texto Traduzido

Caput XVIII

De sua canonização.

 

71. 
1 Como ele já resplandecia em diversas partes do mundo pela nova luz dos milagres, e de toda parte concorressem ao seu corpo sagrado os que tinham experimentado os maiores e mais singulares benefícios de Deus por seus méritos, o sobredito senhor Papa Gregório, com o conselho dos cardeais e de muitos outros prelados, lidos e aprovados os milagres que o Senhor operara por meio dele, anotou-o no catálogo dos santos, mandando que sua festa fosse solenemente celebrada no dia de sua morte. 
2 Essas coisas foram feitas na cidade de Assis, na presença de muitos prelados e da maior multidão de príncipes e barões e de incontáveis povos de diversas partes do mundo, que o mesmo senhor Papa tinha mandado convidar para essa solenidade, no ano 1228, segundo ano do pontificado do mesmo senhor Papa.

 

72. 
1 O próprio Sumo Pontífice honrou mirificamente o santo a quem havia sumamente amado em vida, não só canonizando-o, mas também pela igreja construída em sua honra, em cujo alicerce o próprio senhor Papa pôs a primeira pedra, e enriqueceu-a com presentes e preciosíssimos ornamentos. 
2 Dois anos após a canonização, o sacrossanto corpo foi transladado, com grande honra, do lugar onde antes havia sido sepultado para esta igreja. 
3 Pois o papa enviou a essa igreja uma cruz de ouro, ornada com pedras preciosas, na qual estava embutido o lenho da cruz do Senhor, e ornamentos e vasas muitos destinados ao ministério do altar, com muitos paramentos preciosos e solenes. 
4 Isentou igualmente esta igreja de qualquer jurisdição inferior, constituindo-a, por sua autoridade apostólica, como cabeça e mãe de toda a Ordem dos Frades Menores, como aparece evidente no privilégio público confirmado em bula que todos os cardeais, de comum acordo, subscreveram.

 

73. 
1 Mas seria pouco honrar o santo de Deus com coisas insensíveis, se por ele, morto no corpo mas vivendo em espírito na glória, o Senhor não tivesse convertido e curado inúmeras pessoas. Pois não só pessoas indiferentes, de ambos os sexos, foram convertidas ao Senhor depois de sua morte por seus méritos, mas também muitos grandes e nobres com seus filhos receberam o hábito de sua ordem, deixando reclusas as próprias esposas e filhas nos mosteiros das senhoras pobres. 
2 Da mesma forma muitos homens sábios e letrados, tanto leigos como clérigos prebendados, desprezando os atrativos da carne e renunciando radicalmente à impiedade e aos desejos deste século, entraram na referida Ordem dos menores, conformando-se em tudo, segundo a medida da graça de Deus, à pobreza e aos vestígios de Cristo e de seu servo, o bem-aventurado Francisco. 
3 Por isso, podemos dizer com razão o que foi escrito de Sansão, isto é, que matou muitos mais morrendo do que o tinha feito quando vivo, com toda certeza vive para sempre na vida da glória. 
4 A essa glória nos conduza, pelos méritos de nosso santíssimo Pai Francisco, aquele que vive e reina nos séculos dos séculos. Amém.