Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

117. A última ceia de Francisco

Texto Original

.

1 Quadam nocte beatus Franciscus tantum fuit doloribus infirmitatum pregravatus quod fere in illa nocte nec quiescere potuit nec dormire.

2 Mane, cessante aliquantulum dolore, fecit vocari omnes fratres existentes in loco, et, illis sedentibus coram ipso, consideravit et prospexit eos in personis omnium fratrum.

3 Et incipiens ab uno fratre benedixit eos, ponens dexteram manum in capitibus (cfr. Gen 48,17) singulorum; benedixitque omnes, qui erant in Religione et qui venturi erant usque in finem seculi (cfr. Ioa 1,15; Dan 7,18);

4 et videbatur compati sibi ipsi eo quod non poterat videre filios et fratres suos ante mortem suam.

5 Postea iussit apportari coram se panes et benedixit (cfr. Mat 26,26) eos;

6 et quia propter infirmitatem eos frangere non poterat, fecit a quodam fratre ipsos in plurimas particulas frangi; et accipiens, unicuique fratrum porrexit particulam, precipiens ut totam manducaret (cfr. Mar 14,22; 1Cor 11,24).

7 Nam sicut Dominus feria .V. cum apostolis voluit manducare ante mortem suam, sic quodammodo visum fuit fratribus illis, quod beatus Franciscus ante mortem suam voluit benedicere illis et in eis omnibus aliis fratribus,

8 et quod manducarent illum panem benedictum, quasi quodammodo cum ceteris fratribus quis manducarent.

9 Et hoc manifeste considerare possumus, quia, cum esset alia dies quem feria .V., ipse dixit fratribus quod credebat feriam .V. esse.

10 Unus ex illis fratribus reservavit particulam unam de illo pane.

11 Et post mortem beati Francisci aliqui, qui gustaverunt de eo in suis infirmitatibus, liberati sunt statim.

Texto Traduzido

.

1 Uma noite, o bem-aventurado Francisco foi tão afligido pelas dores das doenças que quase não pôde descansar nem dormir naquela noite. 
2 De manhã, como a dor tivesse diminuído um pouquinho, mandou chamar todos os frades que havia no lugar e, quando se sentaram à sua frente, olhou para eles considerando-os representantes de todos os frades. 
3 E começando por um frade, abençoou a todos, pondo a mão direita na cabeça de cada um; abençoou a todos os que estavam na Religião e deveriam vir até o fim do mundo; 
4 e parece que se compadecia de si mesmo porque não tinha podido ver seus filhos e frades antes de sua morte. 
5 Depois mandou que trouxessem pães para diante dele e os abençôou; 
6 e como não podia parti-los por causa da enfermidade, fez que um frade os partisse em muitos pedacinhos. Tomando-os, deu um pedacinho a cada um dos frades, mandando que o comesse inteiro. 
7 Pois, como o Senhor quis comer com os apóstolos na quinta feira, antes de sua morte, assim de algum modo pareceu àqueles frades que o bem-aventurado Francisco quis abençoa-los antes de sua morte e, neles, a todos os outros frades, 
8 e que comessem aquele pão abençoado como se de alguma forma estivessem comendo com os outros seus frades. 
9 Creio que podemos ver isso claramente, porque, como não era uma quinta-feira, ele disse aos frades que achava que era uma quinta-feita. 
10 Um daqueles frades guardou um pedacinho daquele pão. 
11 E, depois da morte do bem-aventurado Francisco, alguns, que provaram dele em suas doenças, foram imediatamente libertados.