Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

34). A aprovação pontifícia

... Ainda são estes os pequenos de que fala o Evangelho, em Mateus, 19: Foram apresentados a Jesus crianças, para que lhes impusesse as mãos. E os discípulos gritavam com elas (porque, nos primeiros tempos, alguns cardeais não viam de bom olho o surgimento desta Ordem). Mas Jesus lhes disse (porque o sumo Pontífice, isto é, Inocêncio III, assim falou aos cardeais): Deixai as crianças, e não impeçais que venham a mim; pois delas é o reino dos céus. O Papa Inocêncio III disse essas coisas depois que teve uma visão do céu. Por dom divino, tinha visto a basílica de Latrão a ponto de se abater no chão por excessiva antiguidade, e um homem pobrezinho e desprezível tinha-a sustentado admiravelmente para que não se arruinasse. 
Continua o evangelista: Então lhes impôs as mãos e depois partiu de lá; porque, naquela ocasião, o Papa Inocêncio III quis que o bem-aventurado Francisco e os doze companheiros, que tinha levado consigo para pedir a aprovação de sua Ordem, recebessem a tonsura, confirmou a regra e a Ordem e lhes conferiu o ofício da pregação. Era o ano de 1207. Depois disso, tanto os cardeais como os papas amaram com todas as suas forças a Ordem do bem-aventurado Francisco, reconhecendo e constatando com os seus olhos que os frades menores são de grande utilidade para a Igreja e mandados para a salvação (pp. 421-422).