Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo XIV

Texto Original

Caput XIV

Qualiter, loquente s. Francisco cum sociis de Deo, Cristus apparuit in medio eorum

 

1 Sanctissimus p.n. Franciscus, qui totum cogitatum suum in Cristo benedicto iactaverat, et totum suum studium et desiderium et orandi et loquendi et conversandi modum ad eius beneplacitum in se et aliis suis sociis ordinabat, quando volebat loqui de Deo et de salute anime; 2 cum esset aliquando cum illis sanctis et apostolicis sociis ad loquendum de Deo in loco aliquo congregatis, accidit semel in principio sue conversionis, cum adhuc pauci essent, quod, seden­te patre pio cum fillis tam benedictis, in fervore spiritus uni eorum precepit ut in nomine Domini os suum aperiret et loqueretur de Deo quicquid ei divinus Spiritus suggerebat.
3 Cum autem ille sine mora obedienter inciperet et stupenda, docente Spiritu sancto, eructaret, et s. pater imposuit primo silentium et alteri precepit ut os suum in nomine Domini aperiret; et illo obediente et Dei magnalia per Dei gratiam diffundente; et s. Franciscus huic secundo sicut primo imperavit silentium. Et tertio imposuit ut ad laudem D. Ihesu Cristi absque premeditatione aliquid eructaret. 5 Et tertius primorum exemplo, humilem obedientiam adimplendo, tam miranda et archana de divinis occultis producebat in lucem, quod nulli dubium erat quod per ipsum et alios Spiritus sanctus loquebatur.
Cum igitur sic sigillatim vasa illa sanctorum simplicium balsamum divine gratie funderent, ad imperium s. patris, loquendo scilicet melliflue de divinis, 7 et ecce in medio eorum D. Ihesus Cristus benedictus apparuit in specie speciosissimi iuvenis, cum tanta dulcedine gratie omnibus benedicens, quod tam s. pater quam ceteri omnes fuerunt rapti; et iacebant quasi mortui, de mundo isto nichil penitus sentientes. 8 Cum vero ad semetipsos redirent, dicebat s. pater: “Fratres mei dilectissimi, gratias agite D. Ihesu Cristo, quia placuit ei per ora simplicium thesauros disseminare celestes; nam ipse, qui aperit os infantium et mutorum, linguas simplicium facit sapientissimas et disertas (cfr.  Sap 10,21).
Ad laudem D.n. Ihesu Cristi, qui est benedictus in secula. Amen.

Texto Traduzido

Caput XIV

Como, estando São Francisco a falar sobre Deus com os companheiros, Cristo apareceu no meio deles.

 

1 Nosso santíssimo pai Francisco, que tinha lançado todo o seu pensamento em Cristo bendito, também ordenava em si e nos outros seus companheiros todo o seu esforço, desejo, modo de orar, de falar, de conviver, ao beneplácito dele, quando queria falar de Deus e da salvação da alma. 2 Uma vez, quando estava reunido em um lugar com aqueles santos e apostólicos companheiros para falar de Deus, aconteceu no começo de sua conversão, quando ainda eram poucos, que, sentando-se o pai piedoso com filhos tão benditos, no fervor do espírito mandou que um deles abrisse sua boca em nome do Senhor e falasse sobre Deus o que quer que o Espírito divino sugerisse.
3 Ele começou obedientemente, sem demora e, ensinado pelo Espírito Santo, soltou coisas estupendas. Então o pai mandou que o primeiro se calasse e que outro abrisse sua boca em nome do Senhor. 4 Ele também obedeceu e esparramou as grandezas de Deus pela graça de Deus. São Francisco mandou também a esse segundo que se calasse. E impôs a um terceiro que, sem pensar em nada antes, falasse alguma coisa para o louvor de nosso senhor Jesus Cristo. Também o terceiro, a exemplo dos primeiros, cumprindo uma humilde obediência, apresentou à luz coisas tão admiráveis e arcanas sobre os segredos divinos quem ninguém duvidou que o Espírito Santo estava falando por ele e pelos outros.
6 Então, quando, um por um, por ordem do santo pai, aqueles vasos foram derramando pela graça divina o bálsamo dos santos simples, falando melifluamente das coisas divinas, 7 eis que apareceu no meio deles nosso Senhor Jesus Cristo bendito, na forma de um moço muito bonito, abençoando a todos com tanta doçura da graça que, tanto o santo pai como os outros, foram todos arrebatados. E jaziam como mortos, sem sentir absolutamente coisa alguma deste mundo. 8 Quando voltaram a si, o santo pai dizia: “meus irmãos diletíssimos, daí graças a nosso Senhor Jesus Cristo, porque lhe aprouve semear os tesouros celestes pela boca dos simples; pois ele, que abre a boca das crianças e dos mudos, torna a língua dos simples muito sábias e eloquentes (cfr.  Sb 10,21).
Para o louvor de nosso Senhor Jesus Cristo, que é bendito pelos séculos. Amém.