Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo XXXVIII

Texto Original

Caput XXXVIII

De fr. Leone, quomodo apparuit sibi b. Franciscus.

 

1 Gloriose innocentie, que corpus decorat et animam ad gratiam introducit et gloriam, amator Franciscus propter magnam puritatem et columbinam innocentiam, quam in fr. Leone cernebat, ipsum frequentius ducebat pro socio et ad secreta sua tam diebus quam noctibus sepius admittebat. 2 Quapropter inter omnes socios s. patris qui plus de secretis eius et mirabilibus sciverit fuit fr. Leo predictus. 3 Nam ipse frequenter vidit eum elevatum in aere, sicut infra dicetur; ipse etiam audivit eum frequenter cum Cristo et b. Virgine et angelis colloquentem. 4 Ipse insuper vidit lucem igneam de celo super s. Franciscum descendentem, et vocem de ipsa luce audivit cum ipso loquentem.
5 Ipse etiam, dum quadam die pariter incederent, vidit ante faciem s. patris crucem pulcherrimam precedentem et Cristum in illa pendentem. 6 Et videbat quod crux illa mirabilis, cum s. Franciscus staret, stabat; et, cum ambularet, pariter ambulabat; et quocumque s. Franciscus pergebat, illa ante faciem suam precedebat. 7 Et erat crux illa tanti splendoris quod non solum faciem sancti sed illuminabat et decorabat aerem circumquaque. Et hec omnia fr. Leo clara luce cernebat.
8 Huic fr. Leoni, non solum in vita fecit consolationes mirabiles, sed etiam post mortem s. Franciscus ei frequenter apparuit. 9 Unde quadam vice, dum fr. Leo in orationibus vigilaret, apparuit sibi, dicens: “O fr. Leo, recordaris quod, quando eram in mundo, predicebam famem magnam in universo orbe venturam, et dicebam me scire quemdam pauperculum hominem pro cuius amore Deus parcebat, et donec ille pauperculus viveret, famis pestilentissima non mittebatur?”. 
10 Respondit fr. Leo: “Bene recordor, pater sanctissime”. Et ait b. Franciscus: “Ego eram illa creatura et ille pauperculus homo pro cuius amore Deus famem in homines non mittebat, sed propter humilitatem nolebam me pandere. 11 Nunc autem scias pro certo, fr. Leo, quod, postquam recessi de mundo, veniet terribilis et universalis fames in terra, ita quod ex fame multi homines morientur”. 12 Et ita fuit; nam forte ad sex menses post hec verba tam magna fames ubique valuit, quod homines, non solum radices erbarum, sed cortices arborum manducabant: unde pre fame periit maxima hominum multitudo.
13 Claret igitur ex predictis fr. Leonis innocentia et s. Francisci divina amicitia et eiusdem infallibilis prophetia.
Ad laudem et gloriam D.n. Ihesu Cristi. Amen.

Texto Traduzido

Caput XXXVIII

Sobre Frei Leão: como lhe apareceu o bem-aventurado Francisco.

 

O amoroso Francisco, de gloriosa inocência, que adorna corpo e alma e introduz a alma na graça e na glória, por ver em Frei Leão uma grande pureza e a inocência de uma pomba, levava-o com a maior freqüência como companheiro e o admitia muitas vezes em seus segredos, tanto de dia como de noite. Por isso, o referido Frei Leão foi, entre todos os companheiros do santo pai, quem melhor soube a respeito de seus segredos e suas maravilhas. 3 Pois ele o viu muitas vezes levantado no ar, como vamos contar mais adiante. E também o ouviu freqüentemente falando com Cristo, com a Bem-aventurada Virgem e com os anjos. 4 Além disso, viu uma luz de fogo descendo do céu em cima da cabeça de São Francisco, e ouviu uma voz que falava com ele saindo dessa luz.
5 Quando caminhavam juntos em certo dia, também viu diante do rosto do santo pai uma cruz muito bonita que o precedia. E Cristo mela pendia. 6 Percebeu que aquela cruz admirável parava quando São Francisco parava, andava quando ele andava, precedendo-o sempre onde quer que ele fosse. 7 E a cruz tinha tamanho esplendor que não só iluminava o rosto do santo mas ornava o ar em toda a volta. E Frei Leão via tudo isso numa luz muito clara.
8 São Francisco não só deu em vida consolações admiráveis a esse Frei Leão, mas também lhe apareceu muitas vezes depois da morte. 9 Houve um dia em que Frei Leão fazia sua vigília em oração e São Francisco lhe apareceu dizendo: “Ó Frei Leão, deves recordar que, quando eu estava no mundo, predisse que haveria uma grande fome em toda a terra, e dizia que eu conhecia um pobrezinho por cujo amor Deus poupava e não mandaria aquela fome horrível enquanto o pobrezinho vivesse”?.
10 Frei Leão respondeu: “Lembro-me bem, pai santíssimo”. E São Francisco disse: “Era eu aquela criatura e pobrezinho por cujo amor Deus não mandava a fome para os homens, mas, por causa, da humildade, não ousava me manifestar. 11 Mas agora, Frei Leão, fica sabendo com certeza que, depois que eu me retirei deste mundo, virá à terra uma fome terrível e universal, de modo que muitos vão morrer de fome”. 12 E assim aconteceu; pois, cerca de seis meses depois dessas palavras, reinou em toda parte uma fome tão grande, que as pessoas comiam não só as raízes das ervas mas até cascas de árvores: daí morreu a maior multidão de pessoas.
13 Com isso ficam claras a inocência de Frei Leão, a amizade divina de São Francisco e sua infalível profecia.
Para louvor e glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.