Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 61

Texto Original

Caput 61

Qualiter fecit se trahi nudum cum fune ligato ad collum coram populo.

 

1 Quodam tempore, cum de quadam sua infirmitate maxima aliquantulum convaluisset, visum fuit sibi quod habuisset aliquantulam pietantiam in illa infirmitate, licet parum comedisset; 2 et exsurgens quadam die, cum adhuc non esset liberatus de febre quartana, fecit convocari populum civitatis Assisii, in Platea, ad praedicationem.
3 Finita autem praedicatione, praecepit populo ut nullus inde recederet donec rediret ad ipsos; et intrans ecclesiam episcopatus Sancti Rufini cum multis fratribus et fratre Petro Cathanii, qui fuerat canonicus ejusdem ecclesiae et primus generalis minister fuit electus a beato Francisco, dixit eidem fratri Petro, praecipiens per obedientiam, ut absque contradictione faceret quidquid diceret sibi. Respondit ei frater Petrus: “Frater, nec possum, nec debeo aliud velle et facere de me et de te nisi quod placet tibi”.
5 Exuens ergo tunicam suam, beatus Franciscus praecepit ei ut cum corda ligata ad collum ejus traheret ipsum nudum coram populo, usque ad locum ubi praedicaverat. 6 Alteri autem fratri praecepit ut acciperet unam scutellam, plenam cinere et ascenderet ad locum ubi praedicaverat, 7 et quando esset tractus usque ad locum illum projiceret illum cinerem super vultum ejus. Iste tamen non obedivit sibi in hoc, propter nimiam compassionem et pietatem qua motus fuit super eum. 8 Sed frater Petrus, accipiens cordam ligatam ad collum ejus, trahebat ipsum post se, sicut praeceperat ei. Ipse autem plangebat fortissime, et alii fratres cum eo lacrimas maxime compassionis et amaritudinis emittebant.
9 Cumque sic ductus fuisset nudus coram populo usque ad locum ubi praedicaverat, dixit: “Vos, et omnes qui meo exemplo saeculum derelinquunt et intrant religionem et vitam fratrum, creditis me esse sanctum hominem, 10 sed Deo et vobis confiteor quod in ista mea infirmitate comedi carnes et brodium carnibus conditum”. 11 Et coeperunt quasi omnes plangere super ipsum prae nimia pietate et compassione, maxime quia tunc erat tempus hiemale et frigus valde intensum, necdum erat liberatus a febre quartana.
12 Et percutientes pectora sua accusabant seipsos, dicentes: “Si iste sanctus pro justa et manifesta necessitate cum tanta verecundia sui corporis se accusat, 13 cujus vitam novimus esse sanctam, quem etiam propter nimiam abstinentiam et austeritatem, quam fecit corpori suo ab initio suae conversionis ad Christum, cernimus vivum in carne jam quasi praemortua, 14 quid faciemus, nos miseri, qui toto tempore vitae nostrae viximus et continue vivimus secundum desideria carnis (cfr. Eph 2,3)?”.

Texto Traduzido

Caput 61

Como, diante do povo, se fez puxar despido, com uma corda ao pescoço.

 

1 Certa vez, tendo melhorado um pouco de uma gravís­sima enfermidade, pareceu-lhe que na doença tivesse exagerado um pouco na alimentação, embora tivesse comido pouco. Um dia, levantando-se, mesmo que ainda não estivesse livre da febre quartã, mandou reunir na praça o povo da cidade de Assis, para a pregação.
3 Terminada a pregação, ordenou ao povo que nin­guém se afastasse dali enquanto ele não voltasse. Entrando na ca­tedral de São Rufino com numerosos frades e com Frei Pedro Cat­tani, que fora cônego da mesma igreja e o primeiro ministro geral eleito por São Francisco, 4 disse a frei Pedro, ordenando sob obe­diência que, sem objeção, fizesse o que lhe mandava. Frei Pedro respondeu-lhe: “Irmão, não posso nem devo querer outra coisa e fazer de mim e de. ti senão o que te agrada”.
Por isso, despindo sua túnica, o bem-aventurado Francisco ordenou-lhe que, com uma corda amarrada ao pescoço, o levasse .nu diante do povo, até o lugar onde pregara. 6 Mandou ainda a outro frade que tomasse uma tigela cheia de cinza e subisse ao lugar onde pre­gara 7 e, quando ele fosse arrastado até lá, atirasse a cinza em seu rosto. Mas este não lhe obedeceu nisso, devido à grande compaixão e piedade que tinha por ele. 8 Frei Pedro, porém, pe­gando a corda amarrada a seu pescoço, puxava-o atrás de si, con­forme lhe mandara. Mas ele chorava muito forte e, com ele, os outros frades derramavam  muitas lágrimas de compaixão e de amargura.
Quando foi assim levado nu diante do povo ao lugar onde havia pregado, disse: “Vós e todos os que, seguindo meu exem­plo, deixam o século e entram na religião e na vida dos frades, cre­des que eu sou um homem santo. 10 Mas confesso a Deus e a vós que nesta minha enfermidade comi carne e caldo de carne”. 11 Qu­ase todos começaram a chorar, tomados de grande piedade e compaixão, sobretudo porque era inverno e o frio era muito intenso e ele ainda não estava restabelecido da fe­bre quartã.
12 Batiam no peito e se acusavam, dizendo: “Se, por uma ne­cessidade justa e manifesta, este santo se acusa com tanta vergonha de seu corpo, 13 ele que nós sabemos que leva uma vida santa, que vemos vivendo num corpo quase morto por causa da grande abstinência e austeridade que fez desde o início de sua conversão a Cristo, 14 o que faremos nós, miseráveis, que, por todo o tempo de nossa vida, vivemos e continuamos a viver segundo os desejos da carne?” (cf. Ef 2,3).