Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 116

Texto Original

Caput CXVI

De quibusdam malum exemplum dantibus, et maledictio sancti ad eos, et quam graviter hoc ferebat.

 

156 
1 Sic etiam qui sacram violaret religionem iniquis operibus (cfr. 2Pet 2,8) vel exemplis, maledictionibus eius gravissimam incurrebat sententiam. 
2 Nam cum die una dictum esset ei, quod Fundanus episcopus dixisset duobus fratribus euntibus coram eo, qui sub specie maioris sui contemptus barbam longiorem nutriebant: “Cavete, ne religionis pulchritudo praesumptione novitatum huiuscemodi deturpetur”: 
3 surrexit sanctus continuo, et ad caelum protensis manibus (cfr. 2Mac 14,34), lacrimis perfusus, in huiusmodi orationis verba vel potius imprecationis erupit: 
4 “Domine Iesu Christe, qui duodenum Apostolorum numerum elegisti, de quo licet uno cadente, caeteri tamen adhaerentes tibi sanctum Evangelium uno repleti spiritu (cfr. Eph 2,18) praedicarunt, 
5 tu, Domine, in hac hora novissima (cfr. 1Ioa 2,18) antiquae misericordiae memorans (cfr. Ps 88,50; Sir 51,11), fratrum plantasti religionem in tuae fidei fulcimentum, et ut Evangelii tui per eos mysterium impleretur. 
6 Quis ergo pro ipsis coram te satisfaciet, si ad quod missi sunt, non solum omnibus lucis exempla non monstrent, sed potius ostendant opera tenebrarum (cfr. Rom 13, 12)? 
7 A te, sanctissime Domine, et a tota caelesti curia, et a me parvulo sint maledicti, qui suo malo exemplo confundunt et destruunt quod olim per sanctos fratres Ordinis huius aedificasti, et aedificare non cessas!”. 
8 Ubi sunt qui sua benedictione felices se praedicant, et familiaritate ipsius se iactant pro velle potitos? 
9 Si, quod absit, inventi fuerint absque poenitudine in aliorum periculo in se monstrasse opera tenebrarum, vae illis (cfr. Iudas 11), vae damnationis aeternae!

 

157 
1 “Confunduntur”, aiebat, “optimi fratres in malorum fratrum operibus, et ubi non peccaverunt ipsi, pravorum exemplo portant (cfr. Lam 5,7) iudicium. 
2 Duro propterea gladio me transfodiunt, et reducunt illum per mea viscera tota die (cfr. Ps 43,9.16)”. 
3 Subtrahebat se propter hoc maxime a consortio fratrum, ne contingeret eum audire aliquid sinistri de quoquam in sui renovationem doloris. 
4 Et dicebat: “Veniet tempus (cfr. Ez 7,12), quo malis exemplis dilecta Dei religio diffametur, ita ut pudeat exire in publicum. 
5 Qui vero tunc temporis ad suscipiendum Ordinem venerint, sola Spiritus Sancti operatione ducentur, et nullam in eis maculam caro et sanguis (cfr. Mat 16,17; Sir 11,3) impinget, eruntque vere a Domino benedicti (cfr. Ps 113,15). 
6 In quibus quamvis operationes meritoriae non fuerint, frigescente caritate (cfr. Mat 24,12) quae facit sanctos operari ferventer, venturae sunt illis tentationes immensae, et qui reperti fuerint in tempore illo probati, meliores erunt praedecessoribus suis. 
7 Vae autem illis, qui de sola sibi specie conversationis religiosae plaudentes, torpescent otio, nec resistent constanter tentationibus ad probationem electorum permissis; 
8 quoniam soli illi qui probati fuerint, accipient coronam vitae (cfr. Iac 1,12), quos exercitat interim malitia reproborum”.

Texto Traduzido

Caput CXVI

Sobre alguns que dão maus exemplos e sobre a maldição do santo para eles, e como achava isso grave.

 

156 
1 Da mesma maneira, quem comprometia a Ordem com más ações e maus exemplos incorria na sentença pesada de sua maldição. 
2 Contaram-lhe, um dia, que o bispo de Fondi tinha dito a dois frades que se haviam apresentado com a barba mais comprida a pretexto de melhor desprezarem a si mesmos: “Tomem cuidado para que a beleza da religião não se deturpe com novidades desse tipo”. 
3 O santo levantou-se na mesma hora, ergueu as mãos para o céu e, banhado em lágrimas, prorrompeu nesta oração, ou até melhor, nesta imprecação: 
4 “Senhor Jesus Cristo, que escolhestes doze apóstolos. Um deles caiu, mas os outros ficaram unidos a vós e pregaram o Evangelho cheios do mesmo espírito. 
5 Senhor, lembrando- vos nesta última hora da antiga misericórdia, plantastes uma religião de irmãos, para apoiar a fé e cumprir através deles o mistério de vosso Evangelho. 
6 Quem vai poder satisfazer por eles diante de vós, pois não só deixam de dar a todos os exemplos luminosos daquilo para que foram enviados, mas estão até apresentando obras das trevas? 
7 Que sejam amaldiçoados por vós, santíssimo Senhor, por toda a corte celestial e também por este vosso pobrezinho, os que por seu mau exemplo confundem e destroem o que por santos irmãos desta Ordem edificastes outrora e de edificar não cessais!” 
8 Onde estão os que se proclamam felizes com sua bênção e se gabam de ter gozado à vontade de sua familiaridade? 
9 Se, o que Deus não permita, se descobrir que sem penitência mostraram-se para os outros em si as obras das trevas, ai deles, ai da condenação eterna!

 

157 
1 Dizia que “os melhores frades ficam confusos com as obras dos frades maus e, mesmo não tendo pecado, suportam o julgamento pelo exemplo dos perversos. 
2 Por isso me estão atravessando com uma cruel espada, que enterram o dia inteiro em meu coração”. 
3 Por essa razão, afastava-se o mais que podia da companhia dos frades, para não ter sua dor renovada por ouvir alguma coisa má contada a respeito de algum deles. 
4 E dizia: “Tempo virá em que a religião amada por Deus vai ter má fama por causa dos maus exemplos, e terá vergonha de sair em público. 
5 Mas os que entrarem na Ordem nesse tempo serão trazidos unicamente pela ação do Espírito Santo, sem mácula da carne e do sangue, e serão verdadeiramente abençoados pelo Senhor. 
6 Neles, ainda que não haja obras meritórias, por resfriamento da caridade terão tentações imensas, e os que forem aprovados nesse tempo serão melhores que seus predecessores. 
7 Ai daqueles, porém, que ficam contentes só com a aparência de um comportamento religioso, mas vão se corrompendo na ociosidade e não resistem constantemente às tentações que são permitidas para a provação dos escolhidos: 
8 porque só os que tiverem sido provados vão receber a coroa da vida. Por enquanto, estão sendo exercitados pela maldade dos réprobos”.