Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo XIX

Texto Original

Caput XIX

Qualiter Cristus et b. virgo Maria et ss. Iohannes Baptista et Evangelista cum multitudine angelorum loquebantur cum b. Francisco.

 

Puer quidam, puritate columbina et angelica innocentia decoratus, vivente s. Francisco, receptus ad Ordinem, cum staret in quodam locello ubi fratres in campolectis propter penuriam quiescebant; 2 et ad locellum illum venisset s. Franciscus, et de sero, dicto completorio, ad lectum quasi ante alios accessisset, ut postea de nocte, aliis dormientibus, ut sepe consueverat, surgeret, 3 ille puer posuit in corde suo sollicite explorare quo iret sanctus vel quid de nocte faceret cum surgebat.
4 Et ne sompnus ipsum deciperet, collocavit se in lectum iuxta s. Franciscum, et ligavit cordulam suam cum corda illius, ut sentiret cum sanctus exurgeret, ita quod s. Franciscus de tali ligatura nichil advertit.
5 Cum autem omnes profunde dormirent, s. Franciscus surrexit; et cordam suam sentiens detineri, exolvit illam a corda pueri, ita caute quod puer nullo modo persensit, et abiit in quemdam collem ubi iuxta locum erat silva pulcherrima ad orandum solus. 
6 Puer autem, cum excitasset et invenisset cordam sancti a sua cordula dissolutam, statim surrexit, ut s. patrem, sicut proposuerat, exploraret. 7 Cum autem invenisset ostium apertum per quod intrabatur in silvam, advertens quod illic sanctus exisset, statim post eum in silvam intravit et perrexit usque ad dicti collis cacumen, ubi s. Franciscus se fixerat ad orandum. Et cum puer staret aliquantulum, a longe incepit audire multorum colloquia. 
8 Et appropinquans ut clarius que loquebantur perciperet, et ecce vidit lucem mirabilem, que b. Franciscum undique circumdabat; et in ipsa luce Cristum et b. Virginem gloriosam et b. Iohannem Baptistam et Evangelistam et maximam multitudinem angelorum loquentes cum b. Francisco. 9 Que omnia puer aspiciens et tremebundus hec audiens, factus in extasi, in via, per quam rediturus erat sanctus, quasi mortuus cecidit.
10 Completa vero collocutione tam admirabili et tam sacra, s. Franciscus rediebat ad locum; et in ipso reditu, cum adhuc nox esset, cum pedibus invenit dictum puerum, quasi mortuum iacentem in semita. 11 Cui s. pater compatiens et piis brachiis levans, sicut bonus pastor, oviculam propriam ad lectum reportavit. Et sciens postea ab eodem puero visionem predictam quam viderat, precepit ut nulli, dum ipse sanctus viveret, indicaret.
12 Puer vero tenuit preceptum et in magna gratia Dei et devotione s. Francisci crevit, et valens homo in Ordine bene finivit. Et ipse post mortem s. Francisci hoc fratribus revelavit.
Ad laudem et gloriam D.n. Ihesu Cristi. Amen.

Texto Traduzido

Caput XIX

Como Cristo, a bem-aventurada Virgem, os santos João Batista e João Evangelista com uma multidão de anjos falavam com o bem-aventurado Francisco.

 

1 Quando São Francisco ainda vivia, foi recebido na Ordem um menino, ornado com a pureza de uma pomba e uma angélica inocência, e morava em um pequeno lugar onde os frades, por causa da penúria, descansavam na terra batida. Um dia, São Francisco foi àquele pequeno lugar e, à noite, depois de dizer as completas, foi para a cama antes dos outros para levantar-se mais tarde, como era seu costume, quando os outros estivessem dormindo. 3 O menino pôs no coração que devia explorar cuidadosamente onde o santo ia e o que fazia quando se levantava de noite.
4 Para que o sono não o enganasse, amarrou seu cordão com o dele, para sentir quando o santo se levantasse, de modo que São Francisco nem percebeu quando o cordão foi amarrado.
5 Quando todos estavam dormindo profundamente, São Francisco levantou-se. Percebendo que estava sendo retido pelo cordão, soltou-o do cordão do menino, tão cuidadosamente que ele nem percebeu, e foi para uma colina onde, junto ao lugar, havia um bosque muito bonito para orar em solidão.
6 Quando o menino acordou e viu que seu cordão tinha sido desamarrado, levantou-se depressa para vigiar o santo pai, como se propusera. 7 Encontrando aberta a porta pela qual se ia para o bosque, percebeu que o santo tinha saído por ali e foi até o cume daquela colina, onde São Francisco se colocara para orar. Quando o menino já estava ali havia um pouco de tempo, começou a ouvir de longe a conversa de muitas pessoas.
8 Aproximando-se para entender melhor o que falavam, viu uma luz admirável, que rodeava o bem-aventurado Francisco por todos os lados. E nessa luz viu Cristo, a bem-aventurada Virgem gloriosa, São João Batista e São João Evangelista e a maior multidão de anjos falando com São Francisco. 9 Quando o menino viu tudo isso e ouviu a tremer, ficou em êxtase, no caminho pelo qual o santo ia voltar, e caiu como morto.
10 Quando acabou a conversação tão admirável e tão sagrada, São Francisco voltou para o lugar. Ao voltar, como ainda era noite, encontrou com os pés o menino, como morto, deitado no atalho. 11 Com pena dele, o santo pai levantou-o nos piedosos braços e, como o bom pastor, levou sua ovelhinha para a cama. Depois, quando soube pelo próprio menino da visão que tivera, mandou que não contasse a ninguém, enquanto o santo fosse vivo.
12 O menino obedeceu e cresceu numa grande graça de Deus e na devoção a São Francisco, terminando bem a vida na Ordem, como um homem de valor. Foi ele mesmo que contou aos frades, depois da morte de São Francisco.
Para louvor e glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.