Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

31). Rejeita a reconciliação

A décima terceira culpa de Frei Elias foi que nunca quis se reconciliar com a sua Ordem,mas ficou até o fim na sua obstinação. Um dia, o ministro geral, Frei João de Parma, mandou a ele Frei Geraldo de Módena, que era dos frades dos primeiros tempos e familiar dele, para que lhe pedisse por amor de Deus e de São Francisco, pelo bem de sua alma e para dar bom exemplo, que voltasse para a sua religião; e ele teria demonstrado toda delicadeza e misericórdia. Mas Elias respondeu a Frei Geraldo: “Ouvi dizer tanto bem desse padre João de Parma, que não recusaria lançar-me a seus pés confessando a minha culpa e confiando na sua bondade. Mas estou preocupado com os ministros provinciais, que ofendi, que não me enganem jogando-me amarrado no cárcere e me alimentem de pão durão e pouca água. Além disso, sabendo que ofendi a Cúria romana, estou certo de que o cardeal protetor da Ordem se intrometeria para dar-me a penitência. E também não quero perder o favor do imperador, de que gozo neste momento”. Frei Geraldo ficou em Le Celle um dia inteiro... e uma noite... mas se cansou à-toa. Logo que amanheceu, apressou-se para despedir-se e partir com o seu companheiro, e contou ao geral tudo que tinha ouvido e visto (pp. 2237-238).