Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

15). Os hagiógrafos de São Francisco

No ano de 1244, morreu Frei Haymon inglês, ministro geral da Ordem dos frades menores, e foi eleito para sucede-lo Frei Crescêncio da Marca de Ancona, que era velhinho. Ele mandou a Frei Tomás de Celano, autor da primeira Legenda de São Francisco, que escrevesse uma segunda, porque havia muitas notícias que não tinham sido recolhidas na primeira. E Frei Tomás escreveu um belíssimo livro sobre os milagres e sobre a vida do bem-aventurado Francisco e lhe deu o nome de “Memoriale beati Francisci in desiderio animae”. 
Depois Frei Boaventura, ministro geral da Ordem, tirou daí uma só obra, otimamente organizada. Mas ainda há outras coisas não escritas. O Senhor, de fato, continua a operar grandes milagres por meio do seu servo Francisco nas diversas partes do mundo. 
Frei Crescêncio foi convocado pelo papa Inocêncio IV a um Concílio para a deposição de Frederico, com uma carta especial, que eu vi; mas desculpou-se pela velhice e mandou em seu lugar Frei João de Parma, homem santo e culto, que depois o sucedeu no governo da Ordem (p. 254).