Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 64

Texto Original

Caput LXIV

De mentis excessu.

 

98 
1 Suspendebatur multoties tanta contemplationis dulcedine, ut supra semetipsum raptus, quod ultra humanum sensum experiebatur, nemini revelaret. 
2 Per unum tamen, quod semel innotuit, claret nobis quam frequenter in superna dulcedine absorptus fuerit. 
3 Asino quodam tempore vectabatur, cum per Burgum Sancti Sepulcri eum oporteret transire. 
4 Et dum quiescere vellet in quodam domicilio leprosorum, innotuit multis transitus viri Dei (cfr. 4Re 5,14). 
5 Accurrunt undique viri et mulieres videre ipsum, et solita devotione contingere cupientes. 
6 Quid enim? Attrectant illum et trahunt, et de tunica sua succidunt petiolas et reponunt. 
7 Insensibilis videtur homo ad universa, et velut corpus exanime de iis quae fiunt nihil advertit. 
8 Applicant tandem ad locum, et diu iam Burgo relicto, quasi aliunde regrediens, caelestium contemplator sollicite quaerit (cfr. Deut 13,14), quando propinquent ad Burgum.

Texto Traduzido

Caput LXIV

Sobre o êxtase.

 

98 
1 Era muitas vezes arrebatado por tamanha doçura na contemplação, que ficava fora de si, e a ninguém revelava as experiências sobre-humanas que tinha tido. 
2 Mas, por um fato, que uma vez chamou a atenção, podemos imaginar com que frequência ficava absorto nos prazeres celestiais. 
3 Ia montado num jumento, e precisou passar por Borgo San Sepolcro. 
4 Como quis ir descansar numa casa de leprosos, muita gente ficou sabendo da passagem do homem de Deus. 
5 De toda parte correram homens e mulheres para vê-lo, querendo tocá-lo com a costumeira devoção. 
6 E então? Apertavam, empurravam e lhe cortavam e repunham pedaços da túnica. 
7 Ele parecia insensível a tudo e, como um corpo morto, não tomou conhecimento de nada do que estava acontecendo. 
8 Afinal, chegaram ao lugar. Muito depois de terem passado por Borgo, o contemplador das coisas do céu, como se estivesse voltando de longe, perguntou interessado quando chegariam a Borgo.