Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Sobre os ministros da Palavra de Deus

Texto Original

De ministris verbi Dei

Caput CXXII - Qualis debet esse praedicator.

 

163 
1 Ministros verbi Dei (cfr. Act 6,4; 17,13) tales volebat, qui studiis spiritualibus intendentes, nullis aliis praepedirentur officiis. 
2 Hos enim a quodam magno rege dicebat electos ad edicta, quae ex eius ore perciperent, populis demandanda. 
3 Dicebat autem: “Prius praedicator haurire secretis orationibus debet quod postea sacris effundat sermonibus; prius intus calescere, quam foris frigida verba proferre”. 
4 Reverendum hoc dicebat officium, et qui illud administrarent, omnibus venerandos. 
5 “Isti”, ait, “vita sunt corporis, isti daemonum impugnatores, isti mundi lucerna (cfr. Mat 5,14)”. 
6 Sacrae vero theologiae doctores amplioribus dignos censebat honoribus. 
7 Fecit enim quandoque generaliter scribi: “Omnes theologos et qui ministrant nobis verba divina, debemus honorare et venerari, tamquam qui nobis ministrant spiritum et vitam (cfr. Ioa 6,64)”. 
8 Et beato Antonio cum semel scriberet, sic poni fecit in principio litterae: “Fratri Antonio, episcopo meo”.

Texto Traduzido

De ministris verbi Dei

Capítulo 122 - Como deve ser um pregador.

 

163 
1 Queria que os ministros da palavra de Deus fossem tais que se entregassem totalmente aos estudos espirituais, sem ser impedidos por outros cargos. 
2 Dizia que tinham sido escolhidos por um grande rei para transmitir aos povos as palavras recebidas de sua boca. 
3 E afirmava: “O pregador tem que haurir primeiro nas orações feitas em segredo aquilo que depois vai derramar em palavras sagradas. Tem que se afervorar primeiro por dentro, para não proferir palavras frias”. 
4 Afirmava que esse ofício devia ser respeitado e que todos deviam venerar os que o exercem. Dizia: 
5 “Eles são a vida do corpo, eles é que combatem os demônios, eles são a luz do mundo”. 
6 Achava que os doutores em sagrada teologia mereciam honras ainda maiores. 
7 Certa ocasião fez escrever o seguinte, como norma geral: “Devemos honrar e venerar todos os teólogos e os que nos administram as palavras de Deus como aqueles que nos administram espírito e vida”. 
8 Mandou escrever um dia no cabeçalho de uma carta que ele enviava a Santo Antônio: “A Frei Antônio, meu bispo”.