Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Como dava aos pobres a túnica inteira, ou uma parte, e o que pudesse ter.

Texto Original

Qualiter tunicam totam vel partem et quae habere poterat pauperibus tribuebat.

19 Tanta vero pietate ad pauperes frater Iuniperus ferebatur, ut, si quando pauperiorem secundum exteriorem habitum inveniret, statim manicam vel caputium vel aliquam petiam habitus dissuens pauperi largiretur. Et ideo sibi Guardianus praecepaerat, quod nulli daret totam suam tunicam vel partem. Cum autem semel pau­peri petenti eleemosynam obviaret, totus compassione plagatus dixit: “Carissime, non habeo quid dem tibi nisi tunicam, quam etiam dare non possum, oboedientiae praecepto ligatus. Si tamen eam mihi auferas, minime prohibebo”. Pauper vero ipsum exspolians, accepto habitu, recessit et eum denudatum reliquit. Qui ad fratres rediens dixit, quod per quendam hominem fuerat exspoliatus.

Texto Traduzido

Qualiter tunicam totam vel partem et quae habere poterat pauperibus tribuebat.

19 Frei Junípero tinha tanta piedade para com os pobres que, quando encontrava alguém com a roupa exterior mais pobre, logo descosturava uma manga, o capuz ou outra peça do hábito para dar ao pobre. Por isso o guardião lhe proibira dar a quem quer que fosse a túnica ou uma parte dela. Mas, uma vez em que encontrou um pobre pedindo esmola, sofrendo todo de compaixão, disse: “Querido, não tenha o que lhe dar a não ser esta túnica, que também não posso dar impedido por um preceito da obediência. Mas se me tirares, não vou impedir”. O pobre espoliou-o, pegou o hábito e foi embora, deixando-o despojado. Quando voltou aos frades disse que tinha sido espoliado por um homem.