Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

13. Não existe uma cela "minha"!

Texto Original

.

1 Quidam frater, spiritualis homo, cui nimis erat familiaris beatus Franciscus, manebat in quodam heremitorio. 
2 Et considerans quod si aliquando veniret illuc beatus Franciscus [non haberet aptum locum ad manendum], fecit fieri in quodam loco remoto prope locum fratrum quandam cellulam, ubi posset [orare, cum veniret] illuc beatus Franciscus. 
3 Et factum est, non post multos dies, advenit beatus Franciscus. 
4 Cumque duceretur a fratre illo ad videndum eam, dixit ei beatus Franciscus: “Nimis pulchra michi videtur cellula ista. 
5 Sed, si vis ut maneam in ea per aliquot dies, facias fieri sibi quoddam vestimentum interius et exterius de filicibus et ramis arborum”. 
6 Erat enim illa cellula non murata sed de lignis facta. 
7 Sed quia ligna erant plana, facta cum securi et dolabro, videbatur beato Francisco nimis pulchra. 
8 Et statim frater ille fecit ipsam aptari, sicut dixerat beatus Franciscus. 
9 Nam quanto plus essent paupercule et religiose cellule et domus fratrum, tanto magis libenter eas videbat et aliquando ibi hospitabatur. 
10 Cumque maneret et oraret in ea per aliquot dies, quadam die extra cellulam prope locum fratrum ecce quidam frater, qui erat in illo loco, venit ubi manebat beatus Franciscus. 
11 Et dixit ad eum beatus Franciscus: “Unde venis, frater?”. At ille dixit ad eum: “Venio de cellula tua”. 
12 Dixit ad eum beatus Franciscus: “Ex quo dixisti meam esse, alius stabit deinceps in ea, et non ego”. 
13 Nos vero qui cum ipso fuimus (cfr. 2Pet 1,18), multotiens audivimus ipsum dicentem illud verbum sancti Evangelii: Vulpes foveas habent et volucres celi nidos, Filius autem hominis non habet ubi caput suum reclinet (cfr. Mat 8,20; Luc 9,58). 
14 Et dicebat: “Dominus quando stetit in carcere, ubi oravit et ieiunavit .XL. diebus et .XL. noctibus (cfr. Mat 4,2), non fecit ibi fieri cellam nec aliquam domum, sed sub saxo montis permansit”. 
15 Et ideo exemplo suo nec domum nec cellam habere voluit in hoc seculo, nec pro se fieri fecit; 
16 immo, si contingeret quod aliquando diceret fratribus: “Ita aptate cellam istam”, nolebat in ea postea permanere propter illud verbum sancti Evangelii: Nolite solliciti esse (cfr. Mat 6,24). 
17 Nam circa mortem suam in Testamento suo scribi voluit, ut omnes celle et domus fratrum non deberent construi nisi ex luto et lignis, ad conservandam melius paupertatem et humilitatem.

Texto Traduzido

.

1 Um frade, homem espiritual, de quem o bem-aventurado Francisco era muito familiar, permanecia em certo eremitério. 
2 Considerando que, se alguma vez lá fosse o bem-aventurado Francisco, não teria um lugar apto para ficar, mandou fazer num lugar afastado, perto do lugar dos frades, uma pequena cela, onde o bem-aventurado Francisco pudesse rezar quando fosse lá. 
3 E acontece que, não muitos dias depois, chegou o bem-aventurado Francisco. 
4 Quando foi levado pelo frade para ver a cela, disse-lhe o bem-aventurado Francisco: - Essa cela me parece muito bonita. 
5 Mas, se queres que eu fique nela por alguns dias, mande fazer-lhe um revestimento tanto interno quanto externo de samambaias e galhos de árvores”. 
6 Pois a cela não era murada mas feita de madeira. 
7 Mas como as tábuas eram planas, feitas com machado e enxó, o bem-aventurado Francisco achou que ra bonita demais. 
8 O frade mandou adapta-la imediatamente, como dissera o bem-aventurado Francisco. 
9 Pois quanto mais as celas e casas dos frades fossem pobrezinhas e religiosas, via-as com mais boa vontade e às vezes nelas se hospedava. 
10 Como tivesse ficado e rezado nela por alguns dias, eis que um dia, perto da cela, fora do lugar dos frades, um certo irmão, que estava no lugar, foi onde o bem-aventurado Francisco estava. 
11 O bem-aventurado Francisco perguntou-lhe: “De onde vens, irmão?”. Ele disse: -- “Venho de tua cela”. 
12 O bem-aventurado Francisco disse-lhe: “Porque disseste que a cela é minha, vai ser outro que vai ficar nela de agora em diante, não eu”. 
13 Nós, que estivemos com ele, ouvimo-los muitas vezes dizendo aquela palavra do Evangelho: “As raposas têm suas tocas e as aves do céu tem seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”. 
14 E dizia: “Quando esteve no cárcere, onde jejuou quarenta dias e quarenta noites, o Senhor não mandou fazer uma cela nem uma casa, ficou embaixo de uma rocha da montanha”. 
15 E por isso, a exemplo dele, não quis ter casa nem cela neste século, nem mandou fazer para si. 
16 Mais, se alguma vez acontecesse de dizer aos frades: “Ajeitem de tal forma esta cela”, depois não queria ficar nela, por causa daquela palavra do santo Evangelho: “Não vos preocupeis”. 
17 Pois perto de sua morte quis que fosse escrito em seu Testamento que todas as celas e casas dos frades não deviam ser construídas a não ser de barro e galhos, para conservar melhor a pobreza e a humildade.