Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo XII

Texto Original

Caput XII

Qualiter fr. Masseus fuit probatus a s. Francisco.

 

1 B. Franciscus, volens humiliare fr. Masseum, ut multiplicia dona que illi prestabat Altissimus de virtute in virtutem crescerent, 2 cum esset ipse s. pater in quodam loco solitario cum illis primis sociis vere sanctis, inter quos autem fr. Masseus morabatur; unde dixit s. Franciscus omnibus congregatis: 
3 “O fr. Massee, omnes isti tui socii habent gratiam contemplandi et orandi; tu autem habes gratiam verbi Dei ad satisfaciendum personis. 4 Et propterea ego volo quod, ad hoc ut isti possint contemplationi et orationi vacare, tu facias portam, elemosinam et coquinam. 5 Quando vero alii fratres manducabunt, tu extra porte ostium manducabis, ita quod, antequam venientes pulsent ad portam, satisfacias illis de aliquibus bonis verbis, ita quod non oporteat aliquem exire nisi te. Et hoc facias in meritum obedientie salutaris”. 6 Qui statim, inclinato capite et tracto caputio, humiliter obedivit et per plures dies fecit portam, elemosinam et coquinam. 7 Socii vero eius, sicut homines illuminati a Deo, ceperunt sentire in cordibus multam pugnam, eo quod fr. Masseus esset homo magne perfectionis et orationis sicut et ipsi et amplius; et tamen erat totum illi impositum loci pondus.
8 Propter quod rogaverunt s. patrem cordaliter, quod dicta officia inter eos distribuere dignaretur, quia nullo modo conscientie poterant sustinere quod dictus frater tot oneribus subiaceret. 9 Nam preterea sentiebant se in orationibus crudos et in conscientia dissipatos, nisi fr. Masseus a dictis elevaretur oneribus.
10 B. autem Franciscus, hoc audiens, acquievit caritativis eorum consiliis et, fr. Masseum vocans, dixit: “Fr. Massee, isti socii tui volunt partem de officiis que tibi imposui; et ideo volo quod dicta officia dividantur”. 11 Et humiliter et patienter respondit: “Pater, quicquid michi in partem vel totum imponitis, totum a Deo estimo esse factum”.
12 Tunc s. Franciscus, videns caritatem illorum et fr. Massei humilitatem, fecit predicationem mirabilem de sanctissima humilitate; exhortando ipsos quod, quanto maiora dona conferret nobis Altissimus, tanto quis debet esse humilior, quia absque humilitate nulla virtus est acceptabilis coram Deo. 
13 Et hiis dictis, officia cum caritate distribuit et omnes cum s. Spiritus gaudio benedixit.
Ad laudem D.n. Ihesu Cristi. Amen.

Texto Traduzido

Caput XII

Como Frei Masseu foi provado por São Francisco.

 

1 Para que os numerosos dons do Altíssimo crescessem cada vez mais na virtude, o bem-aventurado Francisco quis humilhar Frei Masseu. 2 Quando o santo pai estava em um lugar solitário com aqueles seus primeiros companheiros verdadeiramente santos, entre os quais morava Frei Masseu, reunindo todos, São Francisco disse:
3 “Ó Frei Masseu, todos estes teus companheiros têm a graça de contemplar e de orar; tu, em vez, tens a graça da palavra de Deus para satisfazer as pessoas. 4 Por isso que quero que cuides da porta, da esmola e da cozinha, para que eles possam se entregar à contemplação e à oração. 5 Quando os outros frades estiverem comendo, tu comerás lá fora na frente da porta, de maneira que, antes que as pessoas que chegarem possam bater à porta, tu os contentes com algumas boas palavras, de modo que não precise sair mais ninguém além de ti. E faz isso pelo mérito da santa obediência salutar. 6 Ele, inclinando a cabeça e tirando o capuz, obedeceu imediatamente e, por muitos dias, cuidou da porta, da esmola e da cozinha. Mas seus companheiros, que eram homens iluminados por Deus, começaram a sentir um grande conflito no coração, porque Frei Masseu era um homem de grande perfeição e oração, como eles e até mais, e lhe tinha sido imposto todo aquele peso do lugar.
8 Por isso pediram cordialmente ao santo pai que se dignasse distribuir aqueles ofícios entre eles, pois suas consciências não podiam suportar de maneira alguma que o referido irmão fosse submetido a tantas cargas. 9 Pois, além disso, sentiam-se crus na oração e dissipados na consciência se Frei Masseu não fosse liberado dos encargos.
10 Quando ouviu isso, o bem-aventurado Francisco concordou com os seus caridosos conselhos e, chamando frei Masseu, disse: “Frei Masseu, estes teus companheiros querem uma parte dos ofícios de que te encarreguei: por isso, quero que eles sejam divididos”. 11 Ele respondeu com humildade e paciência: “Pai, quer me imponhais uma parte ou tudo, acho que tudo foi feito por Deus”.
12 Então São Francisco, vendo a caridade deles e a humildade de Frei Masseu, fez uma pregação admirável sobre santíssima humildade, dizendo que deviam ser tanto mais humildes quanto maiores fossem os dons dados pelo Altíssimo, porque sem a humildade nenhuma virtude é aceitável diante de Deus.
13 Dito isso, distribuiu os encargos com caridade e abençoou a todos com o gozo do Espírito Santo.
Para o louvor de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.