Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 145

Texto Original

Caput CXLV

Quomodo sanctus radi volebat.

 

193 
1 Quando radebatur sanctus Franciscus, saepe rasori dicebat: “Cave, ne mihi magnam coronam facias! 
2 Volo enim, quod fratres mei simplices partem habeant in (cfr. Iob 31,2) capite meo”. 
3 Volebat denique religionem pauperibus et illiteratis, non solum divitibus et sapientibus esse communem. 
4 “Apud Deum”, inquit, “non est acceptatio personarum (cfr. Rom 2,11), et generalis minister Religionis, Spiritus Sanctus, aeque super pauperem et simplicem requiescit (cfr. Is 11,2)”. 
5 Hoc sane verbum voluit in Regula ponere, sed bullatio facta praeclusit.

Texto Traduzido

Caput CXLV

Como o santo queria que o raspassem.

 

193 
1 Quando cortava o cabelo, muitas vezes São Francisco dizia ao barbeiro: “Cuidado para não me fazeres uma coroa grande! 
2 Quero que meus irmãos simples tenham uma parte em minha cabeça”. 
3 Queria, justamente, que a Ordem fosse a mesma tanto para os pobres e os iletrados como para os ricos e os sábios. Dizia: 
4 “Diante de Deus não há acepção de pessoas (cfr. Rm 2,11), e o ministro geral da religião, que é o Espírito Santo, pousa do mesmo jeito sobre o pobre e o simples”. 
5 Certamente quis pôr essas palavras na Regra, mas a bulação já feita o impediu.