Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

34. Virtudes e Vícios em Grécio

Texto Original

.

1 Videns enim beatus Franciscus quod ille locus fratrum de Grecio esset honestus et pauper et quod homines illius castri, licet essent pauperculi et simplices, inter alios de illa provincia placuerunt magis beato Francisco,
2 ideo sepe quiescebat et morabatur in eodem loco, maxime quia erat ibi cella una paupercula, que erat valde remota, in qua manebat sanctus pater. 
3 Unde exemplo suo et predicatione et fratrum suorum, gratia Domini multi ex ipsis intraverunt Religionem, mulieres multe servabant virginitatem suam, permanentes in domibus suis, indute pannis Religionis. 
4 Et licet unaqueque maneret in domo sua, communi vita vivebat honeste et affligebat corpus suum ieiunio et oratione, ut videretur hominibus et fratribus earum conversatio non inter seculares esse et consanguineos suos, sed inter sanctas personas et religiosas que longo tempore servissent Domino, cum tamen essent iuvencule et simplices valde. 
5 Unde sepe dicebat cum letitia beatus Franciscus inter fratres de hominibus et mulieribus illius castri: “De una magna civitate non sunt conversi tot ad penitentiam quot de Grecio, quod est ita parvum castrum“. 
6 Nam sepe cum in sero fratres de loco laudarent Dominum, sicut fratres in multis locis illo tempore solebant facere, homines illius castri, parvi et magni, exibant foras stantes in via ante castrum, respondentes fratribus alta voce: “Laudatus sit Dominus Deus!”. 
7 Ita quod etiam pueri nescientes adhuc bene loqui, cum viderent fratres, laudarent Dominum sicut poterant. 
8 Habebant autem illis temporibus tribulationem maximam, quam passi sunt per plurimos annos: quoniam lupi magni comedebant homines et grando omni anno devastabat agros et vineas ipsorum. 
9 Unde beatus Franciscus cum quadam die predicaret eis, dixit: 
10 “Annuntio vobis (cfr. Act 17,3) ad honorem et laudem Dei quod, si unusquisque vestrum a peccatis suis se emendaverit et ad Deum conversus fuerit ex toto corde cum proposito et voluntate perseverandi, 
11 confido in Domino (cfr. Ps 10,2) Iesu Christo, quod ipse per misericordiam suam amodo auferet a vobis istam pestilentiam luporum et grandinis, quam passi fuistis tanto tempore, et faciet vos crescere et multiplicari (cfr. Gen 1,28; 8,17; 9,1) in spiritualibus et temporalibus. 
12 Item annuntio vobis (cfr. Act 17,3), [quod] absit, si ad vomitum reversi fueritis (cfr. Prov 26,11), hec praga et pestilentia super vos revertetur et multe alie maiores tribulationes cum ipsis”. 
13 Et factum est [quod], divina dispensatione et meritis sancti patris, ex illa hora et tempore, cessaret illa tribulatio 
14 Immo, quod est magnum miraculum, quando grando veniebat et devastabat agros vicinorum suorum, illorum agros non tangebat [qui erant] iuxta illos. 
15 Et exinde ceperunt multiplicari et habundare in spiritualibus et temporalibus usque ad sexdecim vel .XX. annos. 
16 Postea ceperunt ex adipe superbire, et habere se odio ad invicem et percutere se gladiis usque ad mortem, occidere animalia occulte, de nocte rapere et furari, et multa alia mala perpetrare. 
17 Cumque Dominus consideraret quod eorum opera mala erant et quod non observarent que per servum suum annuntiata sunt eis [indignatus est zelus eius super eos et avertit manum misericordie sue ab eis, 
18 et reversa est praga grandinis et luporum] super eos, sicut eis dixerat sanctus pater, et multe alie tribulationes peiores prioribus supervenerunt eis; 
19 quoniam totum castrum igne crematum fuit et, omnibus perditis que habebant, ipsi soli evaserunt (cfr. Iob 1,15). 
20 Unde fratres et alii qui audierunt verbum sancti patris, quomodo predixerat eis prospera et adversa, mirati sunt in sanctitate eius, videntes ad litteram omnia impleta.

Texto Traduzido

.

1 Pois o bem-aventurado Francisco, vendo que aquele lugar dos frades em Grécio era simples e pobre, e que as pessoas daquele castro, embora pobrezinhas e simples, agradaram mais ao bem-aventurado Francisco entre os daquela província. 
2 Por isso descansava muitas vezes e ficava morando naquele lugar, principalmente porque ali havia uma cela pobrezinha, bem afastada, onde o santo pai ficava. 
3 Por isso, por seu exemplo e pela pregação dele e de seus frades, graças ao Senhor muitos deles entraram na Religião, muitas mulheres guardavam sua castidade, permanecendo em suas casas, vestidas do pano da Religião. 
4 Mas mesmo que cada uma ficasse em sua casa, vivia vida comum honestamente e afligia seu corpo com jejum e oração, de modo que, às pessoas e aos frades seu comportamento não parecia ser entre os seculares e seus parentes mas entre pessoas santas e religiosas que estivessem servindo Deus havia muito tempo, embora fossem muito jovens e simples. 
5 Por isso o bem-aventurado Francisco falava muitas vezes com alegria entre os frades dos homens e mulheres desse castro: “De uma cidade grande não se converteram tantos para a penitência como em Grécio, que é um pequeno castro. 
6 Pois, muitas vezes, quando os frades estavam louvando a deus à tarde, como os frades costumavam fazer em muitos lugares naquele tempo, as pessoas daquele castro, grandes e pequenas, saíam para fora, ficavam em pé na rua na frente do castro, respondente aos frades em voz alta: “Louvado seja o Senhor Deus!”. 
7 De modo que mesmo as crianças que ainda não sabiam falar bem, quando viam os frades, louvavam o Senhor Deus como podiam. 
8 Mas tinham, nesse tempo, uma tribulação muito grande, que sofreram por muitos anos: porque grandes lobos devoravam as pessoas e o granizo devastava todos os anos seus campos e vinhas. 
9 Por isso, um dia que lhes estava pregando, o bem-aventurado Francisco disse: 
10 “Eu vos anuncio, para honra e louvor de Deus que, se cada um de vós se emendar de seus pecados e se converter a Deus de todo coração, com o propósito e a vontade de perseverar, 
11 confio no Senhor Jesus Cristo que, por sua misericórdia, ele vai afastar agora de vós esta peste dos lobos e do granizo, que vós sofreste tanto tempo, e vai fazer com cresçais e vos multipliqueis nas coisas espirituais e nas temporais. 
12 Também vos anuncio que – que assim não seja – se voltardes ao vômito, essa praga e peste vai voltar sobre vós e com elas outras tribulações muito maiores”. 
13 E aconteceu que, pela graça de Deus e pelos méritos do santo pai, acabou toda tribulação desde aquela hora e daquele tempo. 
14 Até, o que é um grande milagre, quando o granizo chegava e devastava os campos de seus vizinhos, não tocava os seus campos, que estavam ao lado. 
15 Desde então, começaram a multiplicar-se e ter abundância nas coisas espirituais e temporais por uns dezesseis ou vinte anos. 
16 Depois começaram a se ensoberbecer pela gordura, a se odiar uns aos outros e até a ferir-se com espadas até a morte, a matar animais ocultamente, a roubar e a furtar de noite, a fazer muitos outros males. 
17 Quando o Senhor observou que suas obras eram más e que não estavam observando o que lhes tinha sido anunciado pelo seu servo, indignou-se seu zelo sobre eles e afastou deles a mão de sua misericórdia. 
18 E voltou sobre eles a praga do granizo e dos lobos, como lhes dissera o santo pai, e muitas outras tribulações piores do que as antigas caíram sobre eles. 
19 Pois todo o castro foi queimado pelo fogo, e eles escaparam sozinhos, tendo perdido tudo que possuíam. 
20 Por isso, os frades e outros que tinham ouvido as palavras do santo pai, como lhes predissera condições prósperas e adversas, ficaram muito admirados de sua santidade, vendo tudo realizado à letra.