Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 81

Texto Original

Caput 81

Qualiter locutus fuit sibi Dominus dum nimis affligeretur propter fratres qui declinabant a perfectione.

 

1 Quoniam, juxta mensuram zeli quem habebat continue ad perfectionem religionis, oportebat esse in eo tristitiam, si quando audiret vel videret quidquam imperfectionis in ipsa, 2 cum coepisset intelligere quod aliqui fratres dabant malum exemplum in religione, et quod fratres jam a summo apice professionis suae coeperant declinare, 3 tactus nimio dolore cordis intrinsecus (cfr. Gen 6,6), quadam vice in oratione dixit ad Dominum: “Domine, recommendo tibi familiam quam dedisti mihi!”.
4 Et statim dixit illi Dominus: “Dic mihi, o simplex et idiota homuncio, quare tantum contristaris, cum aliquis frater exit de religione, et cum fratres non ambulant per viam quam tibi ostendi (cfr. 3Re 8,36)?  5 Item dic mihi quis plantavit hanc fratrum religionem? Quis converti facit hominem ad paenitentiam? Quis dat virtutem perseverandi in ea? Nonne ego? 6 Ego non elegi te pro homine litterato et eloquente super familiam meam, quia nec te, nec illos qui erunt veri fratres et veri observatores regulae quam dedi tibi volo ambulare per viam scientiae et eloquentiae. 7 Sed elegi te simplicem et idiotam, ut scire valeas, tam tu quam alii, quoniam vigilabo super gregem meum; et posui te signaculum(cfr. Ier 1,12)  ipsis, ut opera quae ego operor in te, ipsi in te debeant operari. 8 Qui enim ambulant per viam quam tibi ostendi (cfr. 3Re 8,36), habent me et abundatius habebunt (cfr. Ioa 10,10)qui vero per aliam viam ambulare voluerint, etiam id quod videntur habere auferetur ab eis (cfr. Mat 25,29)Quapropter dico tibi, ne tantum de cetero contristeris; sed age quod agis, operare quod operaris: quoniam in caritate perpetua(cfr. Ier 31,3) plantavi religionem fratrum. 10 Unde scias quia tantum diligo ipsam quod si quis fratrum,reversus ad vomitum (2Pet 2,22; Prov 26,11)morietur extra religionem, alterum remittam in religionem, qui vice ipsius habeat coronam ejus; et si non esset natus(cfr. Mat 26,24) faciam ipsum nasci. 11 Et ut scias quoniam vitam et religionem fratrum spontanee diligo, ponatur quod in tota religione non remanerent nisi tres fratres, adhuc ipsa erit mea religio et ipsam in perpetuum non relinquam”.
12 Et iis auditis remansit ejus animus mirabiliter consolatus; 13 Et licet, prae nimio zelo quem semper habebat ad perfectionem religionis, ex toto se continere non posset quin vehementer contristaretur, cum audiebat aliquid imperfectionis fieri per fratres de quo malum exemplum vel scandalum oriretur,14 tamen, postquam fuit taliter a Domino confortatus, revocabat ad memoriam illud psalmi: “Ego juravi et statui custodire justitias (cfr. Ps 118,106) Domini et servare regulam quam ipse Dominus dedit mihi et illis qui me voluerint imitari. 15 Ipsi etiam fratres omnes obligaverunt se ad hoc sicut ego. Et ideo, postquam dimisi officium fratrum propter infirmitates meas et, alias causas rationabiles, non teneor amodo nisi orare pro religione et bonum exemplum (cfr. Tit 2,7) fratribus exhibere. 16 Nam illud a Domino habui et scio in veritate quoniam si me non excusaret infirmitas, majus adjutorium quod possim religioni impendere est ut quotidie vacem orationi pro ea ad Dominum, qui ipsam gubernet, conservet et protegat. 17 In hoc enim me Domino et fratribus obligavi ut si quis fratrum meo malo exemplo perierit, volo pro ipso teneri Domino reddere rationem (cfr. Mat 12,36)”.
18 Haec verba intra se loquebatur ad quietandum cor suum et ipsa etiam fratribus in collatione verborum et in capitulis saepius explicabat.
19 Unde si quis frater aliquando dicebat ei ut deberet se intromittere de regimine ordinis, ipse respondebat, dicens: “Fratres habent regulam suam et juraverunt servare eam, 20 et ut non habeant excusationem super me, postquam placuit Domino me statuere ut essem praelatus eorum, coram ipsis juravi eam similiter observare. 21 Unde ex quo fratres sciunt quid debent facere, quid etiam evitare, non restat nisi ut operibus eos doceam, quoniam ad hoc datus sum eis in vita mea et post mortem”.

Texto Traduzido

Caput 81

Como o Senhor lhe falou quando se preocupava muito por causa dos frades que se afastavam da perfeição.

 

1 Porque, na medida do zelo que tinha continuamente pela perfeição da religião, tinha que ficar triste se alguma vez ouvisse ou visse nela algo de imperfeito, 2 Quando começou a perceber que alguns frades davam mau exemplo na religião e que os frades já começavam a baixar do mais alto cume de sua profissão, 3 toma­do no íntimo do coração por grande dor (cf. Gn 6,6), uma vez, em oração, disse ao Senhor: “Senhor, recomendo-vos a família que me deste!” Imediatamente disse-lhe o Senhor: “Ó homenzinho simples e ignorante, dize-me por que te entristeces tanto, quando um fra­de sai da religião ou quando os frades não andam pelo caminho que te mostrei (cf. 1Rs 8,36)? 5 Dize-me, também, quem plantou esta religião de frades? Quem faz o homem converter-se à penitência? Quem dá força de perseverar nela? Não sou eu? Não te escolhi para guiar minha família porque és um homem instruído e elo­qüente, pois quero que nem tu nem aqueles que serão verdadeiros frades e verdadeiros observantes da regra que te dei andem pelo caminho da ciência e da eloquência. 7 Mas  escolhi a ti, simples e ignorante, para que saibas, tanto tu quanto eles, que ve­larei sobre meu rebanho; que te coloquei como sinal (cf. Jr 1,12) para eles, a fim de que as obras que realizo em ti, eles as realizem em si mesmos. 8 Pois aqueles que andam pelo caminho quete mostrei (cf. 1Rs 8,36), possuem .a mim e possuirão com mais abundância (cf. Jo 10,10); mas os que quiserem andar por outro caminho, também aquilo que pensam ter ser-lhes-á tomado (cf. Mt 25,29). 9 Por isso, eu te digo que, para o futuro, não te aflijas tan­to; mas faze o que deves fazer, realiza o que deves realizar, por­que plantei a religião dos frades no amor eterno (cf. Jr 31,3). 10 pois saibas que a amo tanto que, se um frade, voltando ao vômito (cf. 2Pd 2,22; Pr 26,11), morrer fora da religião, enviarei outro à religião para que receba a coroa em seu lugar e, se esse não tiver nascido (cf. Mt 24,26), farei que ele nasça. 11 E para que saibas que amo espontaneamente a vida e a religião dos frades, suponha­mos que em toda a religião não fiquem senão três frades, ela será sempre a minha religião e nunca a abandonarei “.
12 Ouvindo isso, seu espírito ficou admiravelmente consolado. 13 E embora, pelo grande zelo que sempre teve pela perfeição da religião, não pudesse conter-se inteiramente sem se entriste­cer com veemência, quando sabia da existência de algo de imperfeito feito pelos frades, que desse origem a mau exemplo ou a es­cândalo, 14 no entanto, depois que assim foi confortado pelo Se­nhor, trazia à memória o salmo:“Jurei e decidi observar a justiça (cf. Sl 118,106) do Senhor e guardar a regra que o mesmo Se­nhor deu a mim e àqueles que quiserem imitar-me. 15 Também to­dos os frades se comprometeram a isso como eu. E por isso, de­pois que, por causa de minhas enfermidades e outros motivos ra­zoáveis, deixei o encargo dos frades, não sou obrigado a mais nada, senão a orar pela religião e a dar bom exemplo (cf. Tt 2,7) aos frades. 16 Pois recebi do Senhor e na verdade sei que, se minha doença não me desculpasse, a maior ajuda que poderia dar à religião seria rezar diariamente ao Senhor por ela, para que ele a governe, conserve e proteja. 17 Pois nisso me obriguei, ao Senhor e aos irmãos, a prestar contas (cf. Mt 12,36) ao Senhor, se um de meus frades se perder por meu mau exemplo”. 18 Dia isso para tranquilizar seu cora­ção e , muitas vezes, repetia mesma coisa aos frades nas conversações e nos capítulos. 19 Por isso, se às vezes um frade falava que ele devia introme­ter-se no governo da ordem, respondia, dizendo: “Os frades têm sua regra e juraram observá-la. 20 Para que não tenham desculpa por minha causa, depois que aprouve ao Senhor fazer-me seu prelado, também eu jurei diante deles que a observaria da mesma forma. 21 Por isso, já que os frades sabem o que devem fazer e também o que evitar, não resta senão que eu os instrua com as obras, pois para isso fui dado a eles durante minha vida e depois da morte”.