Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 108

Texto Original

Caput CVIII

De reverentia quam exhibuit Episcopo Imolensi.

 

147 
1 Quodam tempore deveniens sanctus Franciscus Imolam civitatem Romagnolae, repraesentavit se episcopo terrae, petens ab eo licentiam praedicandi. 
2 Cui episcopus: “Sufficit, frater, quod ego praedicem populo meo”. 
3 Flexo capite, sanctus Franciscus humiliter foras egreditur, ac post modicam horam regreditur intro (cfr. Mat 26,75.58). 
4 Cui episcopus: “Quid vis, frater? Quid iterum quaeris?”
5 Et beatus Franciscus: “Domine, si pater filium uno repulerit ostio, alio sibi reintrandum est”. 
6 Humilitate victus episcopus alacri vultu complexatur eum, et dicit: “Tu, et omnes fratres tui de caetero in episcopatu meo generali mea licentia praedicetis, quoniam istud humilitas sancta promeruit”.

Texto Traduzido

Caput CVIII

Sobre a reverência que demonstrou para com o bispo de Ímola.

 

147 
1 Certa vez, chegando São Francisco a Ímola, cidade da Romanha, apresentou-se ao bispo do lugar, para pedir licença de pregar. 
2 O bispo disse: “Irmão, eu mesmo prego a meu povo, e é o quanto basta”. 
3 São Francisco curvou a cabeça humildemente e saiu . Mas voltou para dentro uma hora depois. 
4 O bispo perguntou: “Que desejas, irmão? Que queres, outra vez?” 
5 Disse o bem-aventurado Francisco: “Senhor, se um pai põe um filho para fora por uma porta, ele tem que entrar pela outra”. 
6 Vencido por essa humildade, o bispo o abraçou com rosto alegre e disse: “Tu e todos os teus frades podeis pregar de agora em diante em minha diocese com uma licença geral de minha parte. Isso foi conseguido pela tua santa humildade”.