Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

40. Contra a Hipocrisia

Texto Original

.

1 Similiter quodam tempore, cum mansit apud quoddam heremitorium per quadragesimam sancti Martini et fratres propter eius infirmitatem condirent de lardo cibaria que sibi dabant ad comedendum, maxime quia oleum in suis infirmitatibus erat valde contrarium, finita .XL. cum predicaret magno populo congregato (cfr. Deut 31,12; 2Esd 8,1) non multum longe ab illo heremitorio, in primo verbo sue predicationis dixit illis: 
2 “Vos venistis ad me cum magna devotione et creditis me sanctum hominem, sed Deo et vobis confiteor quoniam in hac .XL. in illo heremitorio comedi cibaria de lardo condita”. 
3 Immo etiam raro [non]numquam fiebat quod si fratres vel amici fratrum, cum apud ipsos comederet, vel manifeste eius corpori aliquando propter suas infirmitates facerent pitantiam, quin statim in domo vel cum exiret de domo, coram fratribus et etiam secularibus qui illud ignorabant, diceret palam: 4 “Talia cibaria comedi”, nolens occultare hominibus quod manifestum erat coram Deo. 
5 Immo ubicumque vel coram quibuscumque religiosis vel secularibus spiritus eius aliquando ad vanam gloriam vel superbiam aut aliquod vitium moveretur, statim coram illis confitebatur nude et sine aliquo cooperimento. 6 Unde quodam die dixit sociis suis: “Taliter volo vivere apud Deum in heremis et aliis locis ubi maneo, qualiter homines scirent et me viderent; 
7 quoniam si credunt me sanctum hominem et non facerem vitam quam convenit facere sancto homini, essem ipocrita”. 
8 Unde quodam tempore in hieme propter infirmitatem splenis et stomachi frigiditatem, unus de sociis qui erat eius guardianus acquisivit unum corium vulpis, 9 et rogavit ipsum ut permitteret ipsum consui subtus cum tunica iuxta splenem et stomachum, maxime quia tunc erat magnum frigus, 10 et ipse ex quo Christo servire incepit omni tempore usque ad diem mortis sue noluit portare nec habere nisi tunicam unam repetiatam, cum volebat illam repetiare. 11 Cui respondit beatus Franciscus “Si vis ut habeam intus ad tunicam pelem illam, facias michi poni quandam petiolam illius pellis de foris et consui ad tunicam, in testimonium hominibus quod ego habeo pelem interius”. 
12 Et ita fecit fieri; sed non multum portavit, licet sibi necessaria esset propter suas infirmitates.

Texto Traduzido

.

1 De maneira semelhante, certa vez, quando ficou em um eremitério para a quaresma de São Martinho e os frades, por causa de sua doença, prepararam com toucinho os pratos que lhe davam a comer, principalmente porque o óleo fazia muito mal a suas doenças, no fim da quaresma, quando pregava a uma grande congregação de povo, não muito longe daquele eremitério, disse-lhes logo no começo da pregação: 
2 “Vós viestes a mim com grande devoção e achais que eu sou um santo homem ms a Deus e a vós confesso que nesta quaresma, lá no eremitério, comi pratos temperados com toucinho”. 
3 Até mais, raras ou poucas vezes aconteceu que, se os frades ou os amigos dos frades, quando comia em suas casas, ou preparavam manifestamente alguma iguaria para seu corpo por causa das doenças, quando ele saia da casa não deixava de dizer, diante dos frades ou também diante dos seculares, que de nada sabiam, com toda clareza: 
4 “Como tais pratos”, não querendo ocultar às pessoas o que era manifesto diante de Deus. 
5 Até, em toda parte ou diante de quem quer que fosse, religiosos ou seculares, se seu espírito fosse movido para a vanglória, para a soberba, ou para qualquer vício, confessava-se imediatamente diante deles, nuamente e sem encobrir nada. 
6 Por isso, uma vez, disse a seus companheiros: “Quero viver de tal maneira diante de Deus nos eremitérios e outros lugares onde fico, como as pessoas me conhecem e me vêem; 
7 porque se acham que eu sou um santo homem e eu não fizer o que convém que faça um homem santo, seria hipócrita”. 
8 Por isso em certa ocasião, no inverno, por causa da doença do baço e do frio no estômago, um dos companheiros, que era seu guardião, adquiriu uma pele de raposa, 
9 e rogou que permitisse costurar a pele no avesso da túnica, junto do baço e do estômago, porque, então, estava fazendo muito frio. 
10 E ele, desde que começou a servir a Cristo, durante todo o tempo, até o dia de sua morte, nunca quis usar nem ter a não ser uma túnica remendada, quando queria remendá-la. 
11 Então o bem-aventurado Francisco respondeu: “Se queres que eu tenha essa pele por dentro, manda pôr algum pedacinho dessa pele por fora, costurada na túnica, como testemunho para as pessoas de que eu tenho uma pele por dentro”. 
12 E fez que fosse assim; mas não usou muito, ainda que lhe fosse necessária por causa de suas doenças.