Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo XLV

Texto Original

Caput XLV

Qualiter s. Antonius predicavit piscibus.

 

1 Ostendere volens D. Ihesus Cristus benedictus quanta esset fidelissimi servi eius Antonii sanctitas, et quam devote audienda esset eius predicatio ac sana doctrina, per irrationabilia animalia, scilicet per pisces, redarguit infidelium et insipientium hereticorumque stultitiam, sicut per asinam redarguit insipientiam Balaam.
Nam cum idem b. Antonius esset Arimini, ubi hereticorum magna copia morabatur, volens illos ad lucem vere fidei et in viam reducere veritatis, per dies multos ipsis de scripturis catholicis predicabat.  3 Illi vero facti per obstinationem lapidei, ipsius sanctis eloquiis non solum non acquiescere sed insuper prebere contempserunt auditum.
4 S. vero Antonius, Domino inspirante, accessit quadam die ad os fluminis iuxta mare, et stans in ripa que mari appropinquabat et flumini, incepit modo predicationis pisces ex parte Domini advocare, dicens: “Audite verbum Domini, pisces maris et fluminis, ex quo infideles heretici audire contempnunt”. 
5 Et ecce statim accessit ante s. Antonium tantam magnorum et parvorum piscium multitudo, quod nunquam insimul in illis partibus fuit visa; et omnes tenebant capita aliquantulum extra aquam.
6 Vidisses ibi pisces magnos pacifice adherere minoribus, minores sub alas maiorum pacifice permanere. Vidisses ibi diversas piscium species quaslibet ad sibi similes currere, et quasi quemdam campum pictum colorum varietate mirabili decoratum ad sancti faciem ordinari.
7 Vidisses ibi turmas piscium grandium, quasi castrorum acies ordinatas (cfr. Cant 6,3.9)loca ad predicationem audiendam preripere. Vidisses ibi pisces mediocres loca mediocria capere et quasi doctos a Domino absque aliqua turbulentia in suis locis consistere. 
8 Vidisses ibi piscium parvulorum multitudinem copiosam atque populosam usquequaque, tanquam peregrinos ad indulgentiam, properare et ad s. patrem, tanquam sub tutore, propinquiores accedere. Ita quod in ista predicatione celitus ordinata primo pisces minores, secundo mediocres, tertio, ubi erat aqua profundior, pisces maximi s. Antonio assistebant.
10 Hiis igitur taliter ordinatis, incepit s. Antonius sollempniter predicare, dicens: “Fratres mei pisces, multum tenemini pro vestro modulo referre gratias Creatori, qui in vestrum habitaculum dedit elementum tam notabile, ita ut aquas dulces et salsas, prout expedit, habeatis. 11 Refugia insuper vobis multiplicia contulit, ut evitetis incommoda tempestatis. Exibuit insuper vobis elementum diafanum et limpidum, et vias quibus incedatis, et escas quas sumatis, ut vivere possitis. Escas quoque vobis necessarias preparat Creator benignus etiam in profundis abissis. 12 Vos in creatione mundi cum benedictione multiplicationis preceptum habuistis a Domino. Vos in diluvio, ceteris animalibus pereuntibus, absque lesione reservati fuistis. Vos, alis ornati et virtute roborati, undique prout libet discurritis. 13 Vobis datum fuit ex imperio Domini Ionam reservare prophetam et post tertium diem illum in terram absque lesione reponere. Vos censum pro D. Ihesu Cristo, cum tanquam pauper non haberet unde solveret staterem, obtulistis. 
14 Vos in cibum regis eterni, D.n. Ihesu Cristi benedicti, ante resurrectionem eius et post resurrectionem singulariter electi fuistis; propter que omnia multum tenemini laudare et benedicere Dominum, qui tot bona singularia pre ceteris animalibus recepistis”.
15 Ad hec verba et similia ortamenta aliqui pisces voces emittebant, aliqui aperiebant ora et omnes capita inclinabant, signis quibus poterant laudantes Altissimum. 
16 Ad hanc reverentiam piscium exilaratus in spiritu, s. Antonius, et voce altissima clamans, dicebat: “Benedictus Deus eternus, quod magis honorant Deum pisces aquatici quam homines heretici; et melius audiunt belve irrationabiles quam homines infideles!”.
17 Quanto autem b. Antonius predicabat, tanto piscium multitudo crescebat, et nulli de locis que ceperant recedebant. Ad quod miraculum concurrens populus civitatis, concurrentes etiam heretici supradicti; 18 et videntes tam insolitum et mirandum negotium, quod bruta scilicet s. Antonio prebebant auditum, compuncti corde, omnes ad pedes s. Antonii, rogantes ut predicationem illis faceret consederunt.
19 Tunc s. Antonius, aperiens os suum (cfr. Mat 5,2)tam mirabiliter de fide catholica predicavit, quod omnes hereticos ibi existentes convertit, et fideles, roborati in fide, cum gaudio et benedictione remanserunt. 20 Pisces etiam, licentiati a sancto, cuncti letantes et gaudentes, cum mirandis lusibus et cervicibus applausivis in varias provincias abierunt.
21 Post hec per multos dies s. Antonius, Arimini predicando, magnum fructum fecit in conversione hereticorum et devotione cleri.
Ad laudem et gloriam D.n. Ihesu Cristi. Amen.

Texto Traduzido

Caput XLV

Como Santo Antônio pregou aos peixes.

 

1 Querendo o Senhor Jesus Cristo bendito mostrar quão grande era a santidade de seu fidelíssimo servo Antônio, e com quanta devoção devia ser ouvida sua pregação e sã doutrina, repreendeu a estultice dos infiéis, insensatos e hereges, através de animais irracionais, os peixes, como pela mula tinha repreendido a insensatez de Balaão.
2 Pois, estando Santo Antônio em Rimini, onde morava uma grande quantidade de hereges, querendo trazê-los de volta à luz da verdadeira fé e ao caminho da verdade, pregou-lhes por muitos dias sobre as Escrituras católicas. 3 Eles, porém, duros como pedra pela obstinação, não só recusaram concordar com suas santas palavras mas até, com desprezo, recusaram-se a ouvi-lo.
Então Santo Antônio, por inspiração do Senhor, foi um dia à foz do rio, junto do mar e, ficando na margem que aproximava o mar e o rio, começou, como se estivesse pregando, a chamar os peixes em nome do Senhor, dizendo: “Ouvi a palavra do Senhor, peixes do mar e do rio, já que os infiéis hereges não a ouvem por desprezo”.
5 E eis que, de repente, chegou a Santo Antônio uma multidão tão grande de peixes grandes e pequenos, que nunca foi vista junto naqueles lados. E todos mantinham a cabeça um pouquinho fora da água.
6 Se visses lá os peixes grandes unir-se aos menores, e os menores em paz sob as barbatanas dos maiores! Se visses lá diversas espécies de peixes, correndo todos aos seus semelhantes, dando forma diante do santo a uma espécie de campo pintado de cores variadas, admiravelmente enfeitado!
Se visses lá as turmas de peixes grandes, como um exército em ordem de batalha (cfr. Ct 6,3.9)tomando os lugares para ouvir a pregação! Se visses lá os peixes médios pegando os lugares do meio, e, como ensinados pelo Senhor, permanecendo em seus lugares sem turbulência!
8 Se visses lá a multidão de peixes pequenos, numerosa por toda parte, apressando-se como peregrinos à indulgência, ficando mais perto do santo pai como se fosse o seu tutor. 9 De maneira que, nessa pregação ordenada pelos céus, em primeiro lugar vinham os menores, em segundo os médios e em terceiro, onde a água era mais funda, os peixes maiores assistindo a santo Antônio.
10 Quando tudo isso estava arrumado, Santo Antônio começou a pregar solenemente dizendo: “Peixes, meus irmãos, muito obrigados estais a dar graças, no vosso modo, ao Criador, que para vossa morada deu um elemento tão notável, de modo que tendes águas doces ou salgadas, como for melhor. 11 Além disso, deu-vos múltiplos refúgios para evitardes os incômodos das tempestades. Também vos entregou um elemento diáfano e límpido, com estradas para caminhardes, e alimentos que possais tomar para poderdes viver. E o Criador benigno prepara-vos a comida necessária até nos abismos profundos. 12 Na criação do mundo, rece­bestes do Senhor a bênção e o preceito da multiplicação. No dilúvio, quando os outros animais morreram, fostes conservados ilesos. Dotados de barbatanas e fortalecidos em vigor, correis por toda parte como vos apraz. 13 Coube a vós, por ordem do Senhor, conservar o profeta Jonas e depois do terceiro dia re­colocá-lo ileso na terra. Vós oferecestes o.censo para o Senhor Je­sus Cristo, porque era pobre ele não tinha como pagar o im­posto. 14 Vós fostes especialmente escolhidos para alimento do rei eterno, Nosso Senhor Jesus Cristo bendito, antes e depois de sua ressurreição; e por tudo isso, muito deveis louvar e bendi­zer o Senhor, vós que recebestes tantos bens especiais mais do que os outros animais”.
15 Diante dessas palavras e tais exortações, alguns peixes emitiam sons, outros abriam as bocas, e todos inclinavam as ca­beças, louvando o Altíssimo com os sinais com que podiam. 16 Diante desta reverência dos peixes, Santo Antônio, alegre em espírito e clamando com voz muito alta, dizia: “Bendito seja o Deus eterno, porque os peixes da água honram mais a Deus do que os homens heréticos; e as feras irracionais o ouvem melhor do que os homens infiéis!”
17 Quanto mais o bem-aventurado Antônio pregava, mais crescia a multidão de peixes, e nenhum se retirava do lugar que tinha tomado. O povo da cidade acorreu a este milagre; acor­reram também os referidos hereges, 18 e vendo tão insólita e admirável comunicação: os animais prestando ouvido a Santo Antônio, sentaram-se aos pés de Santo Antônio, compungidos de coração, pedindo que pregasse para eles.
19 Então, Santo Antônio, abrindo sua boca (cf. Mt 5,2), pre­gou tão admiravelmente sobre a fé católica que converteu todos os hereges que lá estavam, e os fiéis permaneceram na fé, fortalecidos, com alegria e bênção. 20 Também os peixes, despedidos pelo santo, todos alegres e exultantes, partiram para diversas regiões, com admiráveis brincadeiras e aplaudindo com as cabeças.
21 Depois disto, Santo Antônio, pregando durante muitos dias em Rimini, produziu muito fruto na conversão dos hereges e na devoção do clero.
Para o louvor e glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.