Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Selecione

Capítulo 144

Texto Original

Caput CXLIV

Quomodo unitatem fovebat in filiis, de qua sub aenigmate locutus est.

 

191 
1 Assiduum votum vigilque studium semper in eo fuit custodire inter filios vinculum unitatis (c fr. Eph 4,3), ut quos idem spiritus traxerat (cfr. Iob 34,14), idemque genuerat pater (cfr. Prov 23,22), unius matris gremio pacifice foverentur. 
2 Uniri volebat maiores minoribus, germano affectu coniungi sapientes simplicibus, longinquos longinquis amoris glutino copulari. 
3 Moralem parabolam semel proposuit, instructionem non modicam continentem: “Ecce”, ait, “fiat omnium religiosorum qui in Ecclesia sunt, unum capitulum generale! 
4 Quoniam igitur adsunt litterati et qui sine litteris sunt (cfr. Act 4,13), scientes et qui sine scientia Deo placere (cfr. Heb 11,6) sciunt, uni sapientum unique simplicium sermo indicitur. 
5 Deliberat sapiens, nam sapiens est, et cogitat intra se (cfr. Mat 16,7): “Non est hic ostentandae scientiae locus, ubi sunt perfecti scientia, nec me inter subtilissimos dicentem subtilia reddere decet curiositate notabilem. 
6 Simpliciter loqui forsitan fructuosius erit”. 
7 Illucet statuta dies (cfr. Est 10,11), congregantur in unum congregationes sanctorum (cfr. Est 8,11; Ps 110,1), sitiunt audire sermonem. 
8 Procedit sapiens sacco vestitus (cfr. Ion 3,5) et cinere adspersus caput (cfr. Lam 2,10), et mirantibus cunctis, facto plus praedicans, abbreviat verba (cfr. Rom 9,28): 
9 “Magna”, inquit, “promisimus, maiora promissa sunt, servemus haec, suspiremus ad illa. Voluptas brevis, poena perpetua, modica passio, gloria infinita. Multorum vocatio, paucorum electio, omnium retributio”. 
10 Erumpunt in lacrimas (cfr. Gen 43,30) auditorum corda compuncta (cfr. Ps108,17), vereque sapientem venerantur ut sanctum. 
11 “Haeccine”, ait simplex in corde suo (cfr. Ps 13,1): “Totum mihi praeripuit sapiens, quidquid facere vel dicere statui. Sed novi quid faciam (cfr. Luc 16,4). 
12 Scio quosdam versus de psalmis; geram ego sapientis morem, postquam ille simplicis morem gessit”. 
13 Advenit crastina sessio, surgit simplex, psalmum proponit in themate. 
14 Divino igitur afflatus Spiritu, tam ferventer, subtiliter, dulciter ex inspirato Dei dono perorat, ut omnes repleti stupore (cfr. Act 3,10) vere dicant: Cum simplicibus sermocinatio eius (cfr. Prov 3,32)”.

 

192 
1 Hanc moralem parabolam, quam sic proponebat, sic exponebat vir Dei (cfr. 3Re 13,1): 
2 “Religio”, inquit, “nostra coetus praegrandis est, et quasi synodus generalis, quae ex omni parte mundi sub una forma vivendi convenit. 
3 In hac sapientes quae simplicium sunt ad suum commodum trahunt, cum vident idiotas igneo vigore caelestia quaerere, et indoctos per hominem (cfr. Ps 93,10), per Spiritum spiritualia sapere (cfr. Act 11,28; Mat 16,23). 
4 In hac etiam simplices quae ad sapientes pertinent in suum fructum convertunt, cum ad eadem secum humiliatos vident praeclaros viros, qui possent ubique in saeculo vivere gloriosi (cfr. Sir 44,1.2). 
5 Hinc, ait, “relucet beatae huius familiae pulchritudo, cuius multiformis ornatus patrifamilias non modicum placet”.

Texto Traduzido

Caput CXLIV

Como fomentava a unidade entre os filhos, sobre a qual falou na forma de um enigma.

 

191 
1 Sempre manteve um desejo constante e um esforço vigilante para preservar entre seus filhos o vínculo da unidade, para que os que foram trazidos pelo mesmo espírito e gerados mesmo pai c fossem formados pacificamente no seio da mesma mãe. 
2 Queria que os grandes se unissem aos pequenos, que os sábios e os simples vivessem em comunhão fraterna e que os que se encontrassem longe sentissem que estavam ligados pelo amor. 
3 Uma vez, contou esta parábola moral, que não é pouco instrutiva: “Vamos supor que todos os religiosos da Igreja se reuniram em um só capítulo geral! 
4 Estando presentes letrados e os que são sem letras, os sábios e os que sabem agradar a Deus mesmo sem sabedoria, encomendaram um sermão a um dos sábios e a um dos simples”. 
5 “O sábio, por ser sábio, pensou consigo mesmo: ‘isto aqui não é lugar de demonstrar conhecimentos, porque estão presentes homens perfeitos na ciência, e não convém que eu me faça notar pela afetação, dizendo coisas sutis diante de pessoas mais sutis. 
6 Talvez seja mais proveitoso falar com simplicidade’“. 
7 “Amanheceu o dia combinado, reuniram-se as congregações de santos, sequiosas de ouvir o sermão. 
8 O sábio se apresentou vestido de saco, com a cabeça coberta de cinza e, diante da admiração de todos, pregando mais com o exemplo, foi breve nas palavras. Disse: 
9 ‘Prometemos grandes coisas, maiores são as que nos foram prometidas. Observemos as primeiras e suspiremos pelas segundas. O prazer é breve, o castigo é perpétuo, o sofrimento é pequeno, a glória não tem fim. Muitos são os chamados, poucos os escolhidos, todos terão a sua retribuição”’. 
10 “Os ouvintes romperam em lágrimas com o coração compungido e veneraram aquele verdadeiro sábio como um santo. 
11 “‘Vejam só, disse o simples em seu coração. O sábio me tirou tudo que eu ia fazer e dizer. Mas já sei o que farei. 
12 Conheço alguns versículos de salmos: vou agir como um sábio, já que ele agiu como um simples’“. 
13 “Chegou a sessão do dia seguinte, o simples se levantou, propôs um Salmo como tema. 
14 Inspirado pelo Espírito Santo, falou com tanto fervor, com tanta sutileza, com tanta doçura, por um dom que só podia vir de Deus, que todos ficaram repletos de estupor e disseram: ‘Deus fala com os simples’“.

 

192 
1 Depois o homem de Deus dava esta explicação para a parábola que tinha contado: 
2 “Nossa religião é uma assembléia muito grande, um verdadeiro capítulo geral, que se reuniu de todas as partes do mundo para viver da mesma forma. 
3 Nela os sábios aproveitam o que é dos simples, vendo que os ignorantes buscam as coisas do céu com inflamado vigor e que os não instruídos pelo homem aprenderam pelo Espírito a saborear as coisas espirituais. 
4 Nela também os simples aproveitam o que é dos sábios, porque vêem que nela convivem com eles homens preclaros, que poderiam viver gloriosos no século. 
5 É isso que faz brilhar a beleza desta bem-aventurada família, cuja variedade tanto agrada ao Pai de família”.