Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tamanho do Texto:
A+
A-

SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI – 03/06/2021

Publicado por Frei Carlos Raimundo Rockenbach | 31/05/2021 - 08:14

SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI – 03/06/2021
Viver eucaristicamente em defesa da vida.

ACOLHIDA:
Animador: Bendito seja o trigal, pois de seus grãos nasce o pão que mata a fome do faminto e torna farta nossas mesas. Bendito seja o trigo que, triturado no moinho, e dourado torna-se
branco como a neve e, das mãos abençoadas, torna-se o pão do altar! Benditos sejam os olhos que se extasiam ao contemplar e adorar tamanha singeleza e tão nobre grandeza, pois é Jesus, o Pão do Céu! Eucaristia, mistério de amor, Mistério Pascal, presente do Senhor, fonte e ápice da vida cristã, da vida da Igreja. Reunidos como irmãos, damos graças, pelo mistério do amor, a presença do Senhor, o Pão do Altar. Com alegria iniciemos cantando.
ATO PENITENCIAL
Animador: Senhor, vós nos dais tudo, nos dais o pão, e quereis ele esteja em todas as mesas. O vosso próprio Filho Jesus assumiu a forma de pão na Eucaristia, para estar no meio de nós e nos alimentar com seu Espírito, com sua Vida. Sabemos que só podemos desejar o Pão do céu se partilharmos o pão de cada dia. Pelo nosso egoísmo, ganância, individualismo, insensibilidade, supliquemos a misericórdia de Deus, cantando.
HINO DO GLÓRIA
Animador: Pelo batismo nos tornamos membros do Corpo de Cristo, somos enxertados Nele e
Dele recebemos a seiva, o Espírito da Vida. Pelo dom da Eucaristia, por sermos convidados
especiais na Mesa do Senhor, vibrantes cantemos.
LITURGIA DA PALAVRA
Primeira Leitura: Ex 24,3-8
Segunda Leitura: Hb 9,11-15
Evangelho: Mc 14,12-16.22-26
PROFISSÃO DE FÉ
REFLEXÃO
Jesus, o Filho de Deus Vivo, pelo mistério da encarnação, assumiu plenamente a realidade
humana, exceto o pecado. Ele tomou a forma humana no ventre sagrado de Maria. Deus tornou-se visível, no corpo, no ser, no agir, no estilo de vida de Jesus. “Quem me vê, vê o Pai”, disse Jesus. Nas vésperas de sua Paixão, morte e ressurreição, Ele celebrou a Última Ceia, na qual instituiu o Sacramento da Eucaristia. Ao tomar o pão, elevou ao Pai um hino de ação de graças, partiu o pão e o deu aos seus discípulos dizendo: “Tomai todos e comei, isto é o meu CORPO, que será entregue por voz”. Em seguida, tomou a cálice com vinho, mais uma vez elevou ao Pai um hino de ação de graças e deu o cálice aos discípulos dizendo: “Tomai todos e bebei, este é o cálice do meu SANGUE, o sangue da nova e eterna Aliança, que será derramado por vós, para o perdão dos pecados”. Jesus entregou seu Corpo e derramou seu Sangue na cruz por amor à humanidade, mas permanece sacramentalmente em nosso meio através da Eucaristia – Pão da Vida. É um mistério tão grande que não cabe em nossa limitada compreensão racional. Só o aceitamos e assimilamos pela Fé, e vivendo eucaristicamente, ou seja, como Jesus, doando-nos em favor da vida dos outros.
A partir do século XIII, uma crise se instaurou no seio da Igreja, em razão de interpretações
equivocadas sobre a Eucaristia, contestando, principalmente, a presença real de Cristo na
Eucaristia. Neste contexto, no ano de 1264, o Papa Urbano IV, instituiu a Festa do Corpo de
Deus, para publicamente expressarmos nossa fé, e adorar o Cristo presente entre nós na
Eucaristia. Cristo está tão presente na sua Palavra, quanto na Eucaristia. Está presente na Igreja, pois pelo Batismo, tornamo-nos membros do Corpo de Cristo. Mas só está no Corpo de Cristo quem vive do Espírito de Cristo. Santo Agostinho em suas sábias catequeses nos diz: “Recebam o que vedes (O Corpo de Cristo), e sejam o que vocês recebem (O Corpo de Cristo). Ao que vocês recebem, vocês dizem: Amém. Sejam, portanto, Corpo de Cristo para que o vosso Amém seja verdadeiro. A Eucaristia é plena em nós quando estamos em comunhão com o Cristo Total: Cabeça e membros. O Papa Francisco nos diz que “O Cristo, que nos alimenta com as espécies consagradas do pão e do vinho, é o mesmo que vem ao nosso encontro nos acontecimentos do quotidiano; no pobre que estende a mão, no sofredor que pede ajuda, no irmão que reivindica a nossa disponibilidade e espera o nosso acolhimento. Que a festa do Corpo de Deus inspire e alimente sempre mais em cada um de nós o desejo e o compromisso por uma sociedade acolhedora e solidária. Quem comunga não pode ficar indiferente com quem não tem pão.
PRECES DA COMUNIDADE
Animador: No dia em que celebramos a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, apresentemos ao Senhor nossas preces, cantando: Atendei, ó Senhor, a nossa prece.
1 – Pela Santa Igreja, para que celebre dignamente a Eucaristia, e dê testemunho de comunhão, solidariedade e partilha, cantemos.
2 – Por todos nós aqui reunidos, para que alimentados pelo Pão da Palavra e da Eucaristia,
demos testemunho de unidade na vida da comunidade, cantemos.
3 – Pelos cristãos perseguidos, que vivem e celebram a eucaristia na clandestinidade, para que com o auxílio divino perseverem em meio as adversidades e sofrimentos, cantemos.
4 – Pelos enfermos, para que não lhes falte o alimento eucarístico e o conforto de seus amigos e familiares, cantemos.
PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS
Animador: Jesus não retém nada para si, ele doa tudo, nos dá sua vida. Nossa oferta será
agradável a Deus, quando no pão e no vinho, estiver representado o dom de nossa vida a Deus e aos irmãos e irmãs. Cantemos.
COMUNHÃO
Animador: Recebam o que vocês veem: o Corpo de Cristo; e sejam aquilo que vocês recebem: Corpo de Cristo. Ao que vocês recebem, vocês dizem: Amém. Vivam unidos a Cristo e aos seus irmãos e irmãs para que o vosso “Amém” seja verdadeiro. Recebamos o Corpo do Senhor, cantando.

Sobre o autor
Frei Carlos Raimundo Rockenbach

Frei Capuchinho da Província Sagrado Coração de Jesus, Rio Grande do Sul