Cookies e Política de Privacidade
O Capuchinhos RS utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tamanho do Texto:
A+
A-

QUARTO DOMINGO DO ADVENTO: 20 de dezembro de 2020

Publicado por Frei Carlos Raimundo Rockenbach | 14/12/2020 - 09:58

QUARTO DOMINGO DO ADVENTO: 20 de dezembro de 2020

“Eis aqui a serva do Senhor”!

ACOLHIDA

Animador: Queridos irmãos e irmãs, paz e bem! Guiados pela esperança, com a simplicidade e a mesma alegria de Isabel, queremos acolher Maria, a bem-aventurada que acreditou, e que no seu ventre sagrado nos traz o Salvador do mundo. Ao acendermos a 4ª vela da coroa do Advento, como Isabel, nos perguntamos: "Como posso merecer que o meu Senhor me venha visitar?". Iniciemos nossa celebração, cantando.

ATO PENITENCIAL

Animador: Coloquemos nossas mãos sobre o coração. É nele que Jesus quer fazer morada e nos presentear com sua paz, sua bondade, seu amor e seu perdão. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia de Deus e peçamos perdão.

- Pelas vezes que somos indiferentes em relação às necessidades e os sofrimentos dos outros, Senhor, tende Piedade de nós!

- Pelas vezes que fechamos nossos corações, não reconhecendo Jesus em cada irmão e irmã, Cristo, tende piedade de nós!

- Pelas vezes que anestesiados pelo espírito do mundo, ignoramos o verdadeiro sentido do Natal, Senhor, tende piedade de nós!

 

LITURGIA DA PALAVRA

Primeira Leitura: 2Sm 7,1-5.8b-12.14a.16

Salmo Responsorial: Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor!

Segunda Leitura: Rm 16,25-27

Evangelho: Lc 1,26-38

REFLEXÃO

- Estamos às vésperas do Natal, e a liturgia nos convida a preparar uma morada digna para o Senhor Jesus que vem. O que significa construir uma morada para Deus? Como deve ser essa morada? Quem pode nos ajudar nesse processo de construção? Se somos cristãos de fato, não podemos querer recebe-lo de qualquer jeito. Precisamos arrumar nossa casa, porque ele vem para fazer morada nela. E a casa é o nosso coração. Ela precisa estar arrumada, modificada, de modo que ele não a encontre bagunçada pelo lixo de nossos pecados, mas ornamentada pela fé, pelo amor ao próximo, pela solidariedade e pela compaixão. Ou seja, muito mais do que os enfeites e as luzes externas, é o nosso interior que deve estar iluminado e revestido da humildade, do acolhimento, à semelhança da do ventre sagrado de Maria e da gruta abençoada de Belém. Jesus Cristo, o rosto humano de Deus e o rosto divino do homem, não se afeiçoa ao luxo e às extravagâncias, mas às coisas modestas e simples. Na primeira leitura, Davi não entende que Deus não precisa de palácios, de moradas suntuosas. O que Deus quer é um coração convertido, que faça o bem. Não existe morada melhor para Deus do que um coração bom. Há quem goste de construir igrejas belíssimas, majestosas, mas descuidam da formação para a conversão, descuidam do cultivo da espiritualidade e da prática da compaixão e da solidariedade, da beleza da alma, da missão e da evangelização. Deus revela a Davi, por meio do profeta Natã, que sempre viveu em tendas humildes, peregrino junto com seu povo. Deus mora onde a vida carece dele e de seu amor. Ele mora onde as pessoas fazem sua vontade, colocando em prática seus mandamentos e ensinamentos. Que saibamos construir uma morada que agrade a Deus, e não nos preocupemos apenas com as coisas externas. Com a preparação de uma morada digna dele, estaremos dando glória e louvor a Deus, pois tudo o que somos e temos, dele recebemos, é o que nos mostra a segunda leitura de Paulo aos Romanos.

- A proximidade do Natal nos leva a contemplar com os olhos aguçados de esperança, o lugar preparado, o coração e o ventre sagrado daquela que pelo seu SIM a Deus e à humanidade acolheu e nos traz o Salvador da humanidade. É impossível contemplar o mistério do Filho e não venerar o mistério da Mãe que é “a Bendita entre todas as mulheres”. Como amar de verdade o Redentor do mundo, sem amar aquela que o trouxe até nós em seu santo tabernáculo? Como Isabel, acolhamos o abraço de Maria e sintamos o pulsar do coração pleno de amor do seu divino Filho, nosso Salvador.

- Maria é feliz porque acreditou, e quer que nós também sejamos felizes, acreditando, como ela, nas promessas de Deus. Ela é feliz, porque é a serva do Senhor que se pôs a serviço de Isabel e de toda a humanidade. Simples e pobre, Maria encantou os olhos de Deus. Cheia de graça e beleza, despida de presunção e de cobiça, canta as maravilhas da presença de Deus na história. “A minh’alma engrandece ao Senhor. Exulta meu espírito, em Deus, meu Salvador”! Maria, mulher feliz, ajudai-nos a dizer também o nosso «sim» perante a urgência, mais imperiosa do que nunca, de fazer ressoar a Boa Nova de Jesus em todos os corações. Alcançai-nos agora um novo ardor de ressuscitados para levar a todos o Evangelho da vida que vence a morte. Dai-nos a santa ousadia de buscar novos caminhos para que chegue a todos o dom da beleza que não se apaga. Vós, Virgem da escuta e da contemplação, Mãe do amor, esposa das núpcias eternas intercedei pela Igreja, da qual sois o ícone puríssimo, para que ela nunca se feche nem se detenha na sua paixão por instaurar o Reino. Estrela da nova evangelização, ajudai-nos a refulgir com o testemunho da comunhão, do serviço, da fé ardente e generosa, da justiça e do amor aos pobres, para que a alegria do Evangelho chegue até aos confins da terra e nenhuma periferia fique privada da sua luz. Mãe do Evangelho vivente, manancial de alegria para os pequeninos, rogai por nós.

PRECES DA COMUNIDADE

AnimadorVivendo intensamente a preparação para o Natal, digamos, após cada invocação: Senhor, ajudai-nos a preparar nosso coração!

1) Natal é união. Para que nossos lares e comunidades sejam acolhedores, peçamos.

2) Natal é doação. Para que nosso gesto concreto neste Natal seja o desprendimento material, transformado em solidariedade, peçamos.

3) Natal é vida. Para que a vida seja valorizada como o maior presente que recebemos, peçamos.

4) Natal é acolhida. Para que, a exemplo de Jesus, acolhamos a todos como irmãos, peçamos.

 

OFERTÓRIO

Animador: A preparação para o Natal alerta-nos para um tempo de partilha, alegria e paz. Com o pão e o vinho, queremos, a exemplo de Maria, ofertar nosso coração para acolher Jesus, cantando.

 

COMUNHÃO

Animador: Para permanecer eternamente conosco, Jesus se fez o Pão da Vida. Recebemo-lo com fé e gratidão. cantando.

Sobre o autor
Frei Carlos Raimundo Rockenbach

Frei Capuchinho da Província Sagrado Coração de Jesus, Rio Grande do Sul