Capuchinhos, 20 de dezembro 2014, sábado. Bom dia!
      

Siga os Capuchinhos 


  • HOME
  • QUEM SOMOS?
  • ONDE ESTAMOS?
  • O QUE FAZEMOS?
  • CONTATO
  • MAPA DO SITE

  •      
     
    26/07/2012,18h39


    Liturgia:“Vai profetizar a Israel, meu Povo!”

    LITURGIA - 15º DOMINGO COMUM. 15.07.2012.


    1.Introdução.
    Deus, normalmente, não chama os capacitados, mas capacita àqueles que são chamados! O profeta Amós era pastor de gado e cultivador de figueiras, mas Deus o chamou e lhe disse: “Vai profetizar a Israel, meu Povo!”. Não era profeta profissional e nem discípulo de profetas! Simplesmente, foi convocado e enviado!

    Profissionais interesseiros da Palavra de Deus, a História sempre conheceu; mas, hoje há profetas demais e muito hábeis para roubar o pão dos famintos com a promessa de milagres e expulsões de demônios! Nem há tanto demônio assim para expulsar! Temos, sim, famintos e carentes de tudo, principalmente, de uma caridosa mão para caminharem com dignidade!

    Jesus enviou seus Apóstolos para uma “missão de ensaio e de urgente anúncio do Reino de Deus”. Eles não precisam realizar grandes milagres: bastava anunciar a iminência do Reino de Deus e curar os enfermos ungindo-os com óleo.
    2.Palavra de Deus.

    Am 7,12-15 – Amós, pastor e agricultor profissional, é chamado para profetizar nas terras da Samaria, longe de sua terra natal. Não tinha preparo profético; era um simples agricultor, e Deus o fez portador de sua Palavra. Pregador de “estilo grosseiro”, diríamos, mas vigoroso profeta de Deus!

    Ef 1,3-14 – A Palavra, anunciada por Paulo, não tem a violência do profeta Amós; pelo contrário, é uma Palavra cheia de conforto e de esperança. Deus nos predestinou a sermos seus filhos, redimidos pelo Sangue de Jesus e integrados no grandioso Plano de Salvação elaborado pelo Pai celeste e realizado em Jesus Cristo.
    Mc 6,7-13 – Jesus enviou seus Apóstolos para um ensaio de sua futura Missão: anunciar o Reino de Deus (eles não sabiam direito o que seria) e deviam curar os enfermos ungindo-os com óleo.

    3.Reflexão.

    • A vida e a missão de um profeta é possível, apenas, num clima de fé na grandeza e no poder de Deus. O homem moderno é ciumento de seus direitos e não admite que alguém invada sua intimidade. Deus passou para a periferia e o homem é o centro de si mesmo! Ele quer construir a própria História. Esta foi a tentação que a serpente passou para nossos pais, no início da História! E na sua ambição,eles se deram mal!

    • O profeta é uma pessoa que se deixa iluminar pela grandeza de Deus e lhe dá o direito de intervir em sua caminhada e de enviá-lo para uma missão, normalmente, difícil! Os verdadeiros profetas nunca foram bem aceitos em sua comunidade. Por quê? Porque eles são portadores de uma Palavra que exige conversão! Amós foi mandado para casa, e Jesus não foi aceito porque os ouvintes conheciam sua vida. Era um simples agricultor! Muitas vezes, os verdadeiros profetas selaram sua missão com o martírio.

    • A “profecia de Paulo” não tem a violência de Amós. Ela é cheia de esperança e anuncia nossa vocação sublime de filho de Deus, resgatados pelo Sangue de Jesus e inseridos no Plano maravilhoso de Deus nosso Pai. E Deus realiza tudo gratuitamente. Somos objeto de um amor infinito, divino, misericordioso e gratuito. Deus tem misericórdia conosco, exatamente, porque somos pobres e necessitados. Recebemos o selo da garantia e do penhor da salvação eterna, o “Selo do Espírito Santo”.

    • Não pense que a vocação profética é missão para outras pessoas e não para você! É bom pensar que cada um de nós pode ser um desconhecido “Amós” chamado para exercer a profecia no ambiente em que vivemos!
    “Bendito seja o Deus e Pai de Jesus Cristo



    Que nos abençoa com toda a bênção espiritual”








    Tags: ,
    por Frei Carlos Zagonel.
     
         


         
       
         

     
    Rua General Sampaio, 161 - Caxias do Sul - RS - 54 3220-9400
    Entre em Contato