Capuchinhos, 24 de outubro 2014, sexta. Boa noite!
      

Siga os Capuchinhos 


  • HOME
  • QUEM SOMOS?
  • ONDE ESTAMOS?
  • O QUE FAZEMOS?
  • CONTATO
  • MAPA DO SITE

  •      
     
    04/07/2012,17h43


    Liturgia:“O Espírito repousa sobre mim!”

    Liturgia para o Domingo 8 de julho de 2012


    Introdução.

    A nossa vida é uma constante luta entre nosso orgulho e a verdade; esta é difícil de ser aceita, pois, ela nos desestabiliza. Ninguém, ninguém mesmo, gosta de ser corrigido! Nisto todos somos iguais; apenas os santos são diferentes!
    O Povo de Israel sempre foi um povo de cabeça dura. Matou a profetas e, praticamente, rejeitou a todos. O profeta fala em nome de Deus e mesmo que comprove sua missão mediante milagres, ele não é aceito; pois, ele é, simplesmente, incômodo!

    Com Jesus não foi diferente; nem em sua terra, Ele pôde fazer milagres; pelo contrário, se escandalizavam com a ousadia e sabedoria de sua pregação. Diziam: “Como pode um fiho de carpinteiro falar com sabedoria e autoridade? Nós conhecemos suas origens...”. Eles o recusaram!

    Existem profetas em nosso meio que anunciam a Palavra de Deus com sabedoria e autoridade? E como são aceitos por nós? Quem é ele para falar assim? É barro como todos nós! Mas, a Palavra do profeta não deixa de ser Palavra de Deus que nos irá julgar um dia!

    Palavra de Deus

    Ez 2,2-5 – O profeta Ezequiel é enviado para falar ao Povo de Israel que já vivia no exílio. O profeta é um judeu simples, mas portador da Palavra de Deus. O Povo continua de cabeça dura, mas tem que saber que esteve entre ele um profeta de Deus!

    2Co 12,7-10 – Paulo não quer roubar a glória de Deus: ele sabe que a salvação é realizada por de graça! Paulo é apenas um instrumento, aliás, muito humano, cheio de fraquezas e de tentações! Por isso, ele se vangloria de suas fraquezas afim de deixar todo o espaço para Deus. Jesus é o Salvador; ele é, apenas, um instrumento, aliás, muito fraco e humano.

    Mc 6,1-6 – Jesus ama sua cidade e quer fazer milagres em seu favor, mas não encontra fé! Realiza, apenas, algumas curas! Ele quer converter sua cidade, mas ela prefere cultivar suas ideias e rejeitá-lo por ser gente simples, filho de agricultor. De fato, “profeta só não é aceito em sua terra!”

    Reflexão

    • Profeta é chamado por Deus e “fala em nome de Deus”!Ele não é dono de sua pregação! Deve escutar o que Deus lhe diz! “Ele me disse... eu te envio junto a um povo rebelde... e tu lhe dirás!” O Povo pode não levar a sério as palavras do profeta, mas, ao menos, saberão que esteve entre eles um profeta para falar-lhe em nome de Deus!

    • Os profetas nunca foram numerosos, ao menos, os verdadeiros! Hoje temos profetas demais. Profetas que são servidores da Mídia, que falam o que o povo gosta de ouvir, que não gostam de contradizer a ninguém, pois, são profetas de si mesmos e não da Palavra de Deus! Hoje e sempre, para pregar a Palavra de Deus é necessário, primeiro, ouvi-la; depois, meditá-la e,por fim, anunciá-la mesmo que ela se torne incômoda e faça o profeta sofrer! O profeta não é benquisto por sua pregação!

    • O verdadeiro profeta é humilde, pois, sabe de que barro é feito! Ele é corajoso, pois, pesa sobre a ele a ordem expressa de Deus: “...Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, povo rebelde que peca contra mim até hoje!” O força de Paulo não estava em sua virtude, mas na certeza da graça divina: “Basta-te a minha graça,pois é na fraqueza que a força manifesta todo o seu poder!” Profeta tem que ser sustentado pela força divina! Ele deve falar em nome de Deus!

    Tags: ,
    por Frei Carlos Zagonel.
     
         


         
       
         

     
    Rua General Sampaio, 161 - Caxias do Sul - RS - 54 3220-9400
    Entre em Contato